Subscribe to RSS Feed

Cabeças trocadas

terça-feira, 30 de março de 2010 by Leila Franca


Lendo o artigo do Lison - A Incrível história das cabeças para os cabeças, me lembrei de um livrinho que li há anos atrás. Era um livro fininho, tão velho e amarelado que a beirada das páginas eram frágeis e quebradiças. Eu o peguei numa biblioteca, já nem me lembro qual.

Open book on library floor

Tratava-se de uma antiga lenda indiana chamada "As Cabeças Trocadas". Depois descobri que o escritor Thomas Mann escreveu um livro baseado nesta história. Mas o livrinho que eu li não era a versão do escritor. Soube também que existem estudos filosóficos a cerca do tema que a lenda envolve, mas não sou filósofa, então é como leiga que escrevo aqui.

Eu me lembro um pouco da história. É um triângulo amoroso: dois homens e uma mulher. Os dois homens eram amigos. Um deles muito inteligente, mas com o corpo franzino. O outro tinha um corpo bonito e musculoso, mas dedicado aos trabalhos braçais, não havia estudado nem desenvolvido tanto a sua inteligência.

Mid section view of a young woman with her hands behind her back

A mulher se casara com o homem inteligente, mas sonhava com o amigo do marido. Por sua vez, o homem musculoso, amigo do marido, se apaixonara pela mulher, antes de saber que ela seria a esposa do amigo. E assim os três viviam num conflito silencioso e sem solução. Entretanto, apesar de não conversarem sobre o assunto, os três sabiam de tudo o que estava acontecendo.

Three elephants at an elephant festival, Jaipur, Rajasthan, India

Por acaso, o casal e o amigo fazem uma viagem juntos e ao passar pelo templo de uma deusa, o marido entra naquele local sagrado, deixando a esposa e o amigo esperando. Porém, no interior do templo e no auge de sua dor, o marido se suicida, pegando a espada e cortando sua própria cabeça.

Preocupada com a demora do esposo, a mulher pede ao amigo que veja por que ele está demorando tanto para voltar. O amigo vai e se depara com a cena horripilante. Assim, sabendo que o homem se suicidara por sua causa, o amigo pega a espada e corta também sua própria cabeça.

Do lado de fora, a mulher estranha a demora dos dois e vai ver o que está acontecendo. Ao se deparar com os dois mortos, ela se desespera. Há então um milagre. A deusa fala com ela e ordena que a mulher coloque a cabeça de ambos no lugar, pois voltarão a viver.

Acontece que a mulher, nervosa, coloca cada cabeça no corpo do outro. Eles voltam a viver e percebem a troca. A mulher está grávida. Pois então qual deles será o pai da criança? Qual o corpo que a fecundou? Qual dos dois é seu marido?

Corridor of a mausoleum, Taj Mahal, Agra, Uttar Pradesh, India

Não vou contar o final da história pois alguém poderá ter o interesse de procurar a lenda ou o livro de Thomas Mann e ler por si mesmo. Mas com certeza essa lenda é uma fonte de questionamentos.

11 comentários:

  1. Vanda
    30 de março de 2010 11:56

    Poxa... E eu fiquei extremamente curiosa!!!!

  1. BLOG RÁDIO
    30 de março de 2010 12:12

    Deu até vontade de ir numa biblioteca ou num sebo procurar esse livrinho, fiquei curioso tbm, valeu pela matéria, post de rico conteudo, parabéns!!!

  1. arte-e-manhas-arte
    30 de março de 2010 12:57

    Que história misteriosa!...
    Fiquei com uma enorme vontade de ler a história toda.

    Beijos
    Luísa

  1. Principe Encantado
    30 de março de 2010 13:35

    É só mesmo lendo o livrinho, caso contrário ficarei assim, mais muito bom seu texto só mesmo para aguçar a todos.
    Abraços forte

  1. Fernandez
    30 de março de 2010 14:16

    Leila querida!
    Adorei o conto. Realmente de muita reflexão.
    Vou correndo procurar o livro... muito interessante.
    Beijo no coração, Fernandez.

  1. Mr.Jones
    30 de março de 2010 19:11

    nossa, q maldade hein? me deixou com curiosidade em saber quem era o pai. Será que ele nasceu com um tikinho de cada um? Tipo: herdou a inteligencia do franzino e o corpo do musculoso?
    Ou terei q ir atras do livro? ahahaha
    abçs

  1. Valéria Braz
    30 de março de 2010 21:46

    Leila, Leila se eu não gostasse tanto de você, ficaria muuuuuiiiitto brava! hehehe
    Adorei a história e estou super curiosa.... já vou procurar!
    Beijo no coração

  1. Lilian
    30 de março de 2010 23:20

    Olá querida amiga Leila,

    Feliz com sua postagem, revendo os amigos.

    Como os amigos anteriores, vou ter que ir atrás do livro. Quem sabe o acho online, pois não vejo a hora de conhecer o final.

    Muito bom vê-la, Leila. Saudades da amiga.
    Carinhoso e fraterno abraço,
    Lilian

  1. carlos roberto
    31 de março de 2010 10:06

    Essa "troca de cabeças", que também pode ser chamada de confusão de sentimentos, é muito comum nos dias de hoje. Tem muita gente por aí trocando cabeças, confundindo sentimentos e perdendo o rumo!

  1. LISON
    31 de março de 2010 16:16

    Que Post Fascinante!
    AMIGA LEILA, é impressionante a Lenda... Logo estarei na biblioteca a procura desse precioso livro, senão vou entrar de cabeça na imaginação, sem respostas.
    Parabéns pelo lindo Post!
    Abraços fraternos,
    LISON.

  1. Radi
    2 de abril de 2010 17:50

    Com certeza,Leila,vou procurar primeiro,a lenda e a mitologia,depois
    uma outra versão.Achei muito interessante,tem forte apelo psicológico. Valeu,um abraço.

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails

Picapp Widget