Subscribe to RSS Feed

Amigo ciumento

quinta-feira, 22 de abril de 2010 by Leila Franca


Tive um amigo que era muito ciumento. Ele não gostava de dividir minha atenção com outras pessoas, mas disfarçava isso, apesar de que dava pra ver direitinho o que estava acontecendo. Muitas vezes eu ficava brava com o comportamento dele, mas depois que passava, eu achava graça de tudo.

Hoje vou contar um caso que aconteceu num dos muitos verões que passei curtindo a praia. Eu e meu amigo inseparável. Onde eu ia, ele ia. Naquele verão fomos parar num lugar que tinha uma Prainha e uma Praia Grande. Eu gostava mais da Prainha, mas a coisa começou quando fui fazer um passeio nas areias sem fim da Praia Grande.

Man walking on beach

Eu estava caminhando sozinha pela areia. Não havia ninguém na minha frente até perder de vista. De repente, veio uma nuvem sei lá de onde, ficou tudo branco e choveu forte. Não dava pra enxergar nada! Comecei a correr pois tenho medo de raios. No meio da corrida vi se aproximar um rapaz, que olhou pra mim e sorriu. Pelo visto só haviam nós dois naquela praia inteira.

Gray Cloud Over Horizon

Na minha percepção, parecia que a chuva tinha "trazido" aquele rapaz, pois minutos antes não havia pessoa alguma ao redor. Foi simpatia mútua (ou amor?) à primeira vista. Sem dizer nenhuma palavra, ele estendeu a mão pra mim e corremos rápido pela praia, de mãos dadas.

Só depois que alcançamos os primeiros prédios da cidade e nos abrigamos numa marquise é que trocamos as primeiras palavras. Ele era um turista, assim como eu. Combinamos de nos encontrar à noite, no "point" da cidade. Eu voltei pra casa "flutuando" e encontrei... o meu amigo ciumento! Contei a ele minha experiência inusitada sob a chuva de verão e do encontro marcado para a noite. Fomos juntos.

Acho que todos os namorados que tive conheceram meu amigo ciumento... Alguns estranhavam sua presença constante, outros não se incomodavam. O rapaz que conheci no meio da chuva na praia não se incomodou. Na verdade, enquanto eu e meu amigo ciumento falávamos feito umas matracas, o rapaz que conheci na chuva era bastante calado, mas uma das coisas que falou, era que ele iria embora da cidade no dia seguinte.

Young couple embracing outdoors, smiling, close-up

Marcamos um encontro na rodoviária para nos despedir. Quando estava perto da hora, me arrumei o melhor que pude e fiquei esperando meu amigo ciumento terminar de se aprontar. Sim, porque ele também ia!

Nas nossas acomodações à beira mar, usávamos um banheiro improvisado que precisava que alguém ficasse por perto tomando conta, pois não tinha porta. Na hora da gente sair, ele disse que precisava ir ao banheiro e me pediu pra ficar lá tomando conta pra ninguém se aproximar.

Fighting Couple

Eu me sentei a uns 3 metros de distância e esperei. Esperei... esperei... esperei...

"Vamos embora!!! Acaba logo com isso!", gritei.

"Só um instante! Espera aí!", gritou meu amigo do banheiro.

Minutos se passaram....

"Anda logo, pô!!!!", gritei de novo.

"Já voooou!!!! "

Mais alguns minutos.... e nada...

"Se você não sair logo daí eu vou embora, heim!!!", ameacei.

"Nãããããão!!!! Já estou terminando!"

Fiquei uma fera de verdade! E já tinha me levantado pra sair dali quando ele veio correndo do banheiro e fomos enfim pra rodoviária.

Quando chegamos lá, o ônibus já tinha ido embora...


14 comentários:

  1. Mary Miranda
    22 de abril de 2010 19:15

    Oi, Leila!
    Acho que não teria paciência com amigo assim...
    Ter ciúme de amizade faz parte e fica até divertido!
    Passando do normal, já dou logo um basta!...
    Muito bom conto, que me fez dar uma "viajada" na leitura, e que me segurou até o fim para ver o desfecho.
    Grande beijo da Mary para você!

  1. * ƬℋคƬคℓyScคℓ * * Scaldelai *
    22 de abril de 2010 19:38

    Eu acho que o seu amigo gostaria de ser mais que um amigo...
    RSRSRS....

    Beijosssss........

  1. Mr.Jones
    22 de abril de 2010 20:18

    mas que amigo alem de ciumento, um MALA, né?
    pq nao deixou vc se despedir do estranho.
    ahahha

  1. Valéria Braz
    22 de abril de 2010 21:03

    Leila, que cara ciumento e sacana.... ele fez de propósito né?!
    Mas são coisas da vida e que nos fazem ter a certeza que valeu a pena.
    Beijo no coração

  1. Sissym
    23 de abril de 2010 00:00

    Eu tive umas amigas ciumentas que só conseguem (isso, ainda são assim) ter uma amizade por vez e quando estão ligadas nesta amizade não gostam de dividir atenção. Como eu odeio isso, sou capaz de falar com 100 ao mesmo tempo, vou saindo de fininho...

  1. Jackie Freitas
    23 de abril de 2010 09:48

    Poxa...que coisa! E esse amigo? Nunca se declarou para você? rsrsrs... Amiga, por mais que ele seja seu amigo, vou te dizer: cuide dos seus interesses, pois amigo que é amigo, de verdade, não monopoliza os sentimentos e a atenção assim.
    Beijos e mais sorte da próxima vez! Espero que sem esse amigo mala!

  1. Principe Encantado
    23 de abril de 2010 10:30

    Amigo ciumento é pior que mulher ciumenta, tenho uma tralha assim ufa, que pertubação.
    Abraços forte

  1. Mocmi
    25 de abril de 2010 15:25

    Oi de novo, Leila !!!
    Esse seu amigo provou que é mais inteligente do que ciumento.Ele agiu não só com estratégia mas com muita classe.
    Se mal não pergunto, quem é esse ? Ele não qeria dividir (nessas horas, uma pitadinha de egoismo é sempre bem-vinda), ótimo medicamento para se tornar único em sua vida.

  1. Eninha Campos
    25 de abril de 2010 17:38

    Ó Leila, coitadinho...
    Fiquei até com peninha dele...suponho que ele tem alguns "probleminhas" para resolver com ele mesmo .

    Fora isso você é muito boa em contar historias . Deve fazer isso sempre . Consegui ver daqui a história como num filme :)
    abs
    Eninha Campos

  1. deste-mundo-e-de-outros
    25 de abril de 2010 19:50

    Leila,

    Que coisa! Nós por cá temos um termo para definir esses amigos, mas não posso dizer aqui! rsrsrsrs

    Eu acho que teria ficado tão zangada, mas tão zangada, que seria capaz de não lhe falar um dia inteiro!

    Adorei a história!

    Beijinhos
    Luísa

  1. Senhor da Vida
    29 de abril de 2010 01:58

    Gente, o ciúme ao extremo! Gente, eu ja achei de mais ele em todos seus encontros, imagina essa despedida, terrivel isso, e eu que me achava possessivo!Beijos!

  1. Eduardo Montanari
    6 de maio de 2010 13:15

    Eu compreendo seu amigo muito bem e não tenho raiva dele, pois sou asim também. Você mesma pode ver isso lá no meu último post do blog que você comentou.
    Muitas pessoas aqui o chamaram de chato, de mala. Sim, eu sei que é chato amar alguém demais. Mas é justamente isso, amor.
    Tanta gente reclama de falta de amor no mundo.

  1. Leila
    6 de maio de 2010 13:34

    Oi Eduardo,

    Eu realmente nunca me afastei do meu amigo ciumento por causa dessas coisinhas que ele fazia. Acabamos nos separando porque ele viajou para a Europa e passou a morar lá.

    Obrigada por comentar.

  1. Anônimo
    14 de julho de 2010 14:31

    Eu tambem acho que esse cara chato que se colava en voce,sofria muito com a tua indiferença, com a eterna impossibilidade de receber de voce o que outros derrepente e rapidinho coseguiam para logo depois desaparecerem, Acho que esse ciume nao estava fundamentado na posseçao e sim em um amor enorme que ele sente por vc. e que vc. sempre ignorou. Isso dói abessa.

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails

Picapp Widget