Subscribe to RSS Feed

Guerra contra a bagunça!

sábado, 30 de maio de 2009 by Leila Franca


Thinkstock Single Image Set

Sinceramente, admiro aquelas raras pessoas que conseguem ter uma casa limpa e arrumada sem o auxílio de empregados domésticos. Aquele piso brilhando, pia limpa, papéis arrumados e um cheirinho bom que a gente não consegue identificar exatamente o que é. Uma mistura de ceras, óleos, perfumes e incensos. Cheiro de lençóis brancos recém tirados do varal. Cheiro de chuva, cheiro de neve.

É lógico que não estou me referindo àqueles lugares impecáveis pela falta de vida. Onde tem gente, tem bagunça. Muitas casas são assim arrumadas em decorrência da solidão. Não há ninguém para desarrumar. Estou me referindo às casas cheias de vida e ainda assim limpas e organizadas, sem que haja uma equipe de limpeza paga para colocar tudo em ordem.

A verdade é que a bagunça atrai mais bagunça ainda. Se um ambiente está em completa desordem, fazemos tudo de forma mais descuidada e a coisa vai piorando cada vez mais. E se tudo estiver em ordem, fazemos o que tivermos de fazer com o maior cuidado.

Meu pai sempre dizia que se o chão estiver limpo, a casa toda está limpa. Na nossa guerra pessoal que travamos discretamente contra nossa própria bagunça sabemos muito bem que no momento que conseguimos clarear o chão, metade do caminho está feito. A bagunça já fica enfraquecida.

O problema é que temos coisas demais. Objetos demais que acabam ocupando uma boa parte do espaço e dificultando a limpeza. Mas é impossível usar todos os objetos que possuímos. Sempre há aquelas coisas esquecidas num canto, roupas que nunca usamos e toda sorte de inutilidades. É um bom hábito recolher parte desse material e doar ou vender. Sem apego, certo? Se livrar de entulho é meio caminho andado.

Em toda casa há também aqueles lugares, geralmente cantos, que ninguém mexe. Parece que estão ali só para acumular poeira e teias de aranha. Na minha cozinha tinha um canto assim. Coloquei logo o fogão neste canto e acabou-se o problema. Agora aquele canto se transformou num espaço movimentado.

Uma vez uma pessoa me falou que se a gente não dominar a bagunça, a bagunça nos dominará. Realmente, se fecharmos os olhos para a desordem generalizada, chega um momento em que não conseguimos fazer mais nada.

Anos atrás, quando tinha 18 anos e trabalhava na IBM, aprendi a usar a “técnica da mesa limpa”. É o seguinte: ao encerrar seu trabalho, guarde tudo que está em cima da mesa. Simples assim. A mesma técnica em outro formato é o que eu aprendi quando tinha 15 anos e era bandeirante. No final de um acampamento, tínhamos que deixar o lugar exatamente como tínhamos encontrado.

Agora aplique isso ao banheiro: depois do banho, deixe o banheiro em ordem. E à cozinha: depois da refeição, deixe a cozinha como estava antes. À sala: quando desligar a televisão, deixe a sala arrumada. E por aí vai.

Gatos e cachorros também fazem uma bagunça infernal. Os gatos derrubam tudo o que é “derrubável”, os cachorros destroem o que podem, sem falar que eles não são capazes de usar o vaso sanitário e dar a descarga. Mas vou falar sobre isso numa outra postagem.

O importante é que com a casa limpa e arrumada, ou seja, vencendo a bagunça (ainda que temporariamente) ganhamos um prêmio maravilhoso: a motivação. O prazer em fazer as coisas mais simples. Se nossa casa está brilhando, fazemos tudo com mais gosto. Ficamos mais felizes. Esse é o ponto.

**********************************************************

War against mess

Frankly, I admire those rare people who have a house clean and tidy without the aid of domestic employees. Shiny floor, clean sink, arranged papers and a good smell that we can not identify exactly what it is. A mixture of waxes, oils, perfumes and incense. Smell of freshly drawn white sheets of clothesline. Smell of rain, smell of snow.

Obviously, I am not referring to those clean places that are clean by a lack of life. Where there are people, there is mess. Many houses are clean and neat due to loneliness. There is no one there. I'm referring to places full of life and still clean and organized, without any paid cleaning team to get everything in order.

The truth is that the mess attracts even more mess. If an environment is in complete disorder, we do everything in a sloppy way and things will worsen further. And if everything is in order, we do everything carefully.

My father always said that if the floor is clean, the whole house is clean. In our personal war against our own mess, we know very well that when we clear the floor, the half way is done. The mess is already weakened.

The problem is that we have too many things. Lots of objects that end up covering a large part of the space, and making difficult to get the cleaning done. It is impossible to use all the objects we have. There are always those things in a forgotten corner, never dressed clothes, and all sorts of useless stuff. It is a good habit of collecting the material and give them away or sell. You should have no attachment, right? Get rid of stuff is the halfway stage.

In all homes there are places, usually corners that no one touch. It seems that they are there just to collect dust and webs. In my kitchen there was a corner like that. I put the stove in this corner and ended up the problem. Now that corner has become a bustling area.

Once a person told me that if we do not control the mess, then the mess will control us. Indeed, if we close our eyes to the widespread chaos, comes a time when we could not do anything.

Years ago, when I was 18 years old and worked at IBM, I learned to use the technique of clean table. It is this: after you job is done, clean the table. It is simple. The same technique in another format is what I learned when I was 15 years old and was pioneer. At the end of a camp, we had to leave the place exactly as we found.

Now apply it to the bathroom: after bathing, leave the bathroom in order. And the kitchen: After the meal, leave the kitchen as it was before. The room: when turning off the tv, leave the room tidy. And so on.

Cats and dogs also make an infernal mess. Cats get to tip everything and the dogs destroy what they can. And they are not able of using the toilet. But I will talk about this in another post.

What is important is that when we have in a clean and tidy house, or winning the mess (even temporarily), we won a wonderful prize: the motivation. We get a pleasure in everything we do. We are most happy. This is the point.

1 comentários:

  1. Anônimo
    9 de janeiro de 2011 08:42

    e se aceitarmos a bagunça como uma coisa natural.. aprendendo a conviver pacificamente com ela. acho que passamos muito de nosso tempo lutando contra a bagunça. poderiamos construir.. mais bagunça com esse tempo. huahua

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails

Picapp Widget