Subscribe to RSS Feed

Qual é o seu rótulo?

terça-feira, 19 de janeiro de 2010 by Leila Franca


Quando eu estava na escola e comecei a tirar boas notas, acho que ganhei o rótulo de CDF. Pouco delicado se considerado ao pé da letra, mas na verdade ninguém pensa nas palavras que deram origem à sigla e sim em seu significado: estudioso(a). Entretanto, ainda estava longe de receber também o título de cientista maluco, sendo este mais adequado aos gênios que conheci durante meus anos de estudo.

Student Writing in Notebook

Tive amigas de diversos nomes, mas com certeza muitas delas, principalmente aquelas que adoravam andar na moda e de todas as cores preferiam o rosa, eram chamadas de Patricinhas e frequentemente namoravam caras que se chamavam Mauricinhos, apenas porque gostavam de manter a boa aparência. Muitas se encantavam também com os playboys, que tinham muitas namoradas mas nem sempre eram chamados de Mauricinhos.

Three young women and young man relaxing on beach, close-up

Como em todo lugar, sempre havia aquela garota linda, que não dava bola para ninguém e que todos os rapazes sonhavam em conquistar. Quando uma garota dessas ficava mais velha, poderia entrar na categoria de mulher fatal. Mas só se fosse morena, pois se fosse loura, poderia ter o azar de ser chamada de loura burra.

Woman in gothic fashion

O certo é que muitas garotas que conheci evitavam mesmo namorar os meninos que dirigiam o carro do pai. Qualquer coisa seria melhor do que receber o nome de Maria Gasolina. O pior é que se as outras meninas agissem da mesma forma, com certeza acabariam por ser chamadas de Maria Vai Com as Outras.

Teenage girl (16-18) in convertible, surfboard in backseat

Nas férias, quando uma romaria de carros seguia para as pequenas cidades turísticas distantes dos grandes centros, muitas garotas e rapazes aproveitavam para namorar. Muitos garotos também se preparavam em academias de musculação para estes dias de férias e por isso eram chamados de marombeiros. Alguns rapazes se dedicavam aos esportes, principalmente o futebol, sendo que em torno das quadras era frequente a presença de meninas chamadas de Maria Chuteira.

Close-up of a Caucasian male body builder's nude torso

Do tempo da juventude, uma coisa que preservei foram meus cabelos compridos, meus óculos à la John Lennon, sendo que adoro blusinhas de estampa indiana. Por causa disso, acabei sendo chamada de hippie. Já o meu filho e seus amigos, só porque passaram horas aprendendo a lidar com os computadores, são chamados de nerds. Quanto à aparência, acontece uma coisa curiosa: os que preferem usar roupa preta recebem o nome de góticos e os que têm preguiça de cortar a franja entram logo na categoria de emos.

Faces 2

Muitas de minhas amigas preferiram não se casar e acabaram ficando pra titia. Se bem que mais tarde, algumas foram chamadas de peruas. Acho muito bom que tenha aprendido todos esses nomes bem antes dos 65 anos, pois a partir daí irei ter um novo título, o de idosa.

Happy senior woman


Queridos leitores, este texto obviamente é fictício e foi criado apenas para exemplificar alguns dos estereótipos que nos cercam. Durante a vida, muitos de nós ganhamos esses rótulos ou agimos conforme eles. Alguns podem até ser positivos, mas muitos são negativos e partem de idéias pré-concebidas e sem fundamento. Cabe à nós o discernimento. Saber deixar de lado todos os rótulos e definir o próprio pensamento.

14 comentários:

  1. Valéria
    19 de janeiro de 2010 18:07

    Que post em amiga.... como sempre muito legal.
    Seu texto prende, seja que assunto for!
    Adorei, você mostrar o significado deste monte rótulos de forma suave, e ainda chamando a atenção para os preconceitos que giram em torno de alguns.
    Bom mesmo.
    Beijo no coração

  1. concentrado
    19 de janeiro de 2010 18:40

    Leila adorei seu texto. Muito bem criativo.Ainda bem que nunca tive roulo nenhum, acho que tive sim um, sempre falavam que era um menino esforçado.

  1. Lilian
    19 de janeiro de 2010 19:19

    Olá querida amiga Leila,

    Seu texto está excelente, aliás, já virou hábito presentear-nos com crônicas de qualidade.
    Prende a atenção do leitor do início ao fim e ao término, ficamos com um gostinho de quero mais, à espera do próximo post.
    Só tive um rótulo na juventude, o de dizerem que eu "era crente", nos dois sentidos: crente de ser evangélica e crente porque sempre era aluna nota "dez" (naquela época, era "cem" rsrsrs...)
    Parabéns, amiga.
    Carinhoso e fraterno abraço,
    Lilian

  1. Luísa
    19 de janeiro de 2010 20:23

    Olá Leila!

    É verdade! Por cá também há esse hábito, claro!
    Para as Patricinhas, nós usamos Bétinhas e aqueles jovens, filhos de mães muito ansiosas que têm de controlar tudo, chamamos "meninos(as) da mamã"! Coitados eles nem têm culpa! rs
    Mas na realidade esses nomes, que funcionam como adjectivos menos elegantes, são horríveis. Eles medem pela mesma bitola certos grupos, apenas porque agem, pensam ou usam roupas diferentes. Mesmo na idade adulta isso acontece e é muito comum esse preconceito. Se calhar são inventados por pessoas pouco seguras!

    Beijos
    Luísa

  1. ADM - Barbosa
    20 de janeiro de 2010 00:36

    Cientista Maluco, muitto bom esse acho que tem haver comigo mesmo rss muito inteligente e dinamico minuto a minuto.!

    Leila Abração Pra ti! muita qualidade em seu blog virei até seguidor, olha quanta moral em rss bjoss

  1. Serenissima
    20 de janeiro de 2010 05:39

    Mais um post nota 10... 1000...10000000000!!
    Eu era a tal CDF :/
    Abraço (meeesssmoooo) rsssss

  1. Principe Encantado
    20 de janeiro de 2010 06:33

    Muito bom amiga realmente uma variedade de rótulos e muito usados mesmo, suas explicações foram excelente. Post show de bola.
    Abraços forte

  1. Deus é fiel
    20 de janeiro de 2010 14:04

    Paz Leila!
    Eu aos 13 anos era chamada de Olivia Palito.Acabei tomando um monte de porcaria pra engordar.
    Hoje carinhosamente ganhei o rótulo de "Baleiazinha" por causa de um comercial da TV.Mas esse só os daqui de casa usam...hahaha
    Temos que tomar cuidado,pois nem sempre agrada a outra pessoa o rótulo que dão à ela.(Hoje é comum ver pessoas matando outras por não gostarem dos rótulos.)
    Parabéns pelo texto!
    Beijos!

  1. João Seixas
    20 de janeiro de 2010 14:19

    Parabens pelo texto e principalmente pela conclusão, infelizmente as pessoas agem de acordo com os rotulos que recebem durante a vida e nem percebem.

  1. Fernando Monção -
    20 de janeiro de 2010 15:55

    Comadre... Até bem pouco tempo atrás eu sabia que alguns me rotulariam de LUNÁTICO...
    Hoje e graças principalmente aos maravilhosos amigos que tenho arrebanhado pelo Projeto, dos quais você é uma dessas pessoas, sou rotulado de EMPREENDEDOR, REALIZADOR, SONHADOR SIM... Mas muito bem acompanhado, muito obrigado, ok?
    Forte abraço do seu compadre.

  1. Edvalter
    20 de janeiro de 2010 16:51

    ACHO QUE PODE SER RANZINZA PORQUE EU ODEIO RÓTULOS RSRSRS. VALEU!!

  1. Sou Mulher ...
    20 de janeiro de 2010 17:07

    Oi Leila!
    Na adolescência, sempre tinha um "inha" no final da palavra que usavam pra me chamar: "vem cá Verinha..nininha.. baixinha.." Será que era porque eu tinha 1m. e 48 cm de altura? (hehehe...)
    Mas tem gente que teve "rótulos" que podem ter atrapalhado sua vida. Bom texto para refletir.Adorei.
    Abraços,

  1. Topera
    21 de janeiro de 2010 09:31

    Muito bom o texto, fiz uma publicação sobre ele no meu blog e coloquei as devidas fontes ok ? =]

    o pior que as vezes Rotulos criam muitas situações tristes, mas é isso ... tomara que essa realidade mude um dia.

  1. Eninha
    24 de janeiro de 2010 11:27

    Nas adolescência fui por um bom tempo chamada de "misteriosa" ainda hoje sou porem bem mesnos.
    Mas acho que não corresponde a realidade :)
    abs.
    Eninha

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails

Picapp Widget