Subscribe to RSS Feed

Para andar no gelo

domingo, 31 de janeiro de 2010 by Leila Franca


Quando peguei meu primeiro inverno rigoroso, com neve, ventos gelados e tudo mais, a maior dificuldade que senti foi andar no gelo. Uma simples tarefa, como a de ir à lojinha da esquina se transformava num desafio ao equilíbrio.

No meio da rua não tinha gelo, mas era perigoso andar pela rua. Muitas vezes pedras grandes de gelo caíam do alto dos caminhões e essas pedras eram lançadas longe, quando pegas pelos pneus dos carros que passavam. Não dava nem pra andar pelo cantinho, junto do meio-fio, pois ali a neve retirada da rua era depositada. O morro de neve junto à sarjeta chegava a ter a minha altura em alguns lugares.

Taxi Driving on Snowy Street

Tinha que andar mesmo pela calçada, que era onde ficava o temível gelo. Eu ia devagarzinho, me segurando quando possível. Infelizmente aquelas casas não tinham muro pra gente se segurar. Preferia ir afundando na neve intacta até os tornozelos do que arriscar levar um tombo.

Mas isso tudo acontecia quando eu estava sozinha e ia à pé ao comércio local. O caso é que uma noite um amigo americano me convidou para ir ao cinema que ficava perto de onde morávamos. Por isso resolvemos ir caminhando, mas logo que começamos a andar senti dificuldade para acompanhá-lo. Eu tinha que ir andando devagarzinho, enquanto ele, andava normalmente, como se não houvesse gelo no caminho. Era um mistério.

Snowstorm hits Washington.

"Não consigo andar nessa velocidade!", protestei. Eu não sabia mesmo o que devia fazer para andar rápido naquela superfície escorregadia. Nós paramos e ele me olhou em silêncio por uns instantes. "Vou te ensinar o segredo de andar no gelo", ele disse muito sério e eu fiquei batendo os queixos, mas prestando atenção.

"Você tem que andar com fé. Com fé, entendeu?" Ele me deu o braço e começamos a andar. Andávamos rápido. Em alguns passos, sentia que íamos começar a deslizar, mas antes que isso acontecesse, já estávamos em outra passada!

Fiquei pensando nas estradinhas de barro que muitas vezes passei de carro quando ia para algum sítio ou fazenda no interior do Brasil. Caminhos cheios de buracos, pedras soltas, mato e terra fofa. Tinha que manter uma certa velocidade ao passar por esses lugares, pois se fosse devagar, o carro não conseguiria seguir em frente: ficaria atolado ou preso num buraco. Tinha que ir rápido, passando sobre os obstáculos, sem parar.

Acho que aprendi a caminhar com fé. No barro, no gelo, na vida, tanto faz. O processo é o mesmo.


12 comentários:

  1. Fernandez
    31 de janeiro de 2010 11:22

    É amiga... caminhar com fé é uma grande lição.
    Adorei a história, muito bem escrita!
    Grande abraço, Fernandez.

  1. Luísa
    31 de janeiro de 2010 11:27

    Olá Leila!

    O segredo é acreditar e não se deter demasiado.

    Beijocas
    Luísa

  1. Ana
    31 de janeiro de 2010 12:26

    olá Leila!

    Parabéns pelo ótimo texto.

    Como diz o trecho da musica de Gilberto Gil:
    "Andá com fé eu vou que a fé não costuma faiá,Oh Minina!"

    Um grande abraço,Kacal.

  1. Claudine Ribeiro G. Netto
    31 de janeiro de 2010 18:32

    Olá amiga Leila, excelente relato. Na vida temos que andar com fé, se não quando cairmos como iremos levantar? A fé é um fator muito importante na vida das pessoas.

    Bjão.

  1. Joselito
    31 de janeiro de 2010 19:55

    A fé além de mover montanhas, remove neve e faz você andar no gelo ....

  1. JH
    31 de janeiro de 2010 20:34

    Oi Leila! Parabéns pelo blog :D sou o JH do agulha.net e vim agracer por ter nos visitado. Abração!

  1. concentrado
    31 de janeiro de 2010 21:25

    Leila adoro ler suas histórias, ainda bem que eu nunca passei por isso, por isso que eu prefiro meu Brsil.

  1. Lilian
    31 de janeiro de 2010 21:42

    Olá querida amiga Leila,

    Amei esse texto.

    Jesus disse: " Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não somente fareis o que foi feito à figueira, mas até mesmo, se a este monte disserdes: Ergue-te e lança-te no mar,tal sucederá; e tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis". (Mateus 21: 21)

    Pois é, Leila, tudo é questão de fé.
    Um grane beijo no seu coração.
    Carinhoso e fraterno abraço,
    Lilian

  1. LISON
    1 de fevereiro de 2010 13:02

    Saudações!
    Que Post Fascinante!
    Amiga Leila, principalmente para andar, precisamos aplicar a Lei da Fé!
    Parabéns pelo excelente Post!
    Abraços,
    LISON.

  1. Cristina
    1 de fevereiro de 2010 13:23

    Andar com fé é preciso. O medo, às vezes, é um dos nossos maiores inimigos...
    Adorei mais esta sua experiência de vida, sua.
    Abraços
    João

  1. Arlindo
    5 de fevereiro de 2010 03:49

    Num é que você conseguiu aplicar fé,legal.
    interessante,levante-se sempre,a lei da fé como ja disseram.

  1. Sissym
    8 de fevereiro de 2010 22:53

    A minha mãe mora em Berlin e diz que não há nada pior do que andar no gelo, que a neve não é ruim e sim o gelo porque ele faz escorregar.

    Viu Washington hoje?! Que nevasca! Neve até 1 metro. Mais de 250 mil empregados publicos não foram trabalhar! Aqui é chuva demais, sol de torrar e eles lá um frioooo....

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails

Picapp Widget