Subscribe to RSS Feed

Os ladrões e os dobermanns

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009 by Leila Franca


Era um dia de verão como o de hoje. Eu tinha dado um mergulho na piscina e ainda estava usando um biquini no meio da tarde. Não havia ninguém em casa a não ser por Nevaski - um dobermann gigante que se deitava aos meus pés enquanto eu estava sentada na minha mesa de trabalho.

De repente, ouvi um ruído familiar: "pim!!!" Era o barulho de alguma coisa batendo no cano de ferro que sustenta o balanço das crianças no quintal. Este barulho não se fazia sozinho, por si mesmo. Tinha que ser alguém!

Child'S Swing

A certeza da presença de alguém do lado de fora aconteceu quando Nevaski, de pronto, se sentou. Eu podia ouvir o som "Rrrrrrrr....Rrrrrrr..." do seu rosnado ameaçador. Não pensei duas vezes. Fui lá fora e Nevaski me acompanhou.

Fui direto no lugar de onde tinha vindo aquele som do balanço, segurando o dobermann pela coleira justa ao pescoço. Eu não tinha errado: quando cheguei no quintal dei de cara com dois homens de bermuda e sem camisa. Parei a uns 2 metros de distância e Nevaski assumiu sua posição de ataque.

"O que vocês estão fazendo aí?" - era a adrenalina fazendo a pergunta sem nexo. Os homens não tiravam os olhos do cachorro. Um deles respondeu: "Nada não". Eu continuei: "Saiam já daqui. Vão embora!" Eles fizeram que iam sair pelo portão de entrada. Eu estava no caminho e não permiti a passagem: "Saiam por onde vocês entraram!". (Foi maldade minha, pois o muro era muito alto. Fácil de descer e difícil de subir).

Doberman Pinscher

Nevaski ajudou: com uma careta medonha, exibiu todos os seus dentes para os ladrões, rosnando alto até que explodiu num latido de assustar o demônio! O dobermann me arrastou enquanto os homens se ralaram pulando a muralha!

Refeita do susto, fiquei pensando o que teria sido de mim se não fosse aquele cão.

Doberman pinscher barking, chained to fence (Digital Enhancement)

A mesma coisa teve um final diferente quando aconteceu na casa de um amigo. Ele tinha 6 dobermanns e vários gatos, que se davam muito bem com os cães. Assim, numa tarde em que os cachorros estavam no fundo do quintal e os gatos dormiam no muro da frente, um indivíduo olhou para casa e, vendo os gatos se espreguiçando, deve ter pensado: esta casa não tem cachorro. Sendo assim, ele entrou pelo portão da frente, que nunca ficava trancado.

A casa, encostada nos dois lados do terreno, não tinha passagens laterais. Então o homem olhou para o quintal da frente e conferiu o que ele havia pensado anteriormente: nem sombra de cachorro. Estava então à vontade para procurar coisas de valor.

O que o homem não sabia é que o meu amigo, arquiteto engenhoso, havia construído um "viaduto para cachorros" sobre a casa. Uma espécie de ponte, que dava aos cães acesso ao telhado, de onde eles podiam vir dos fundos para a frente do terreno, sem passar por dentro da casa. E este sujeito deve ter passado o inferno quando viu os 6 dobermanns vindo correndo em sua direção pelo telhado!

Group of Dobermans running against white background

A sorte foi que o meu amigo abriu a porta da sala e chegou junto ao homem antes dos dobermanns. Com um comando, os cães interromperam a investida. Enquanto os 6 dobermanns se esforçavam para obedecer o dono e os gatos se aborreciam com tanto barulho, meu amigo teve uma conversa com o invasor, que se justificou dizendo-se desempregado e desesperado.

Dias depois, meu amigo conseguiu um emprego para o sujeito.


5 comentários:

  1. Principe Encantado
    3 de dezembro de 2009 16:33

    Muito legal atras da calmaria vem a tempestade, ele nunca poderia imaginar essa situação.
    Abraços forte

  1. Joselito
    3 de dezembro de 2009 18:50

    O segundo ladrão apesar do grande susto ainda se deu bem .... no primeiro caso, a "sorte" que os invasores não estavam armados, pois, caso contrário nem o cachorro iria adiantar muito.

  1. LL
    3 de dezembro de 2009 20:36

    Leila,
    Penso que esses ladrões passaram definitivamente a assaltar velhinhas e carros. Coitadas das velhinhas...

    Beijos
    Luísa

  1. LISON
    3 de dezembro de 2009 23:32

    Saudações!
    Amiga Leila,
    Que Post Fantástico!
    Com sinceridade, acho que você tem nervos de aço, porque manter o equilíbrio diante dessa situação não é para qualquer um. Mas, se os ladrões estivessem armados poderia ter outro curso. Todos tiveram sorte, especialmente você.
    Que Deus ti proteja eternamente!
    Parabéns pelo excelente Post!
    Abraços fraternos,
    LISON.

  1. Anônimo
    9 de setembro de 2012 21:14

    Eu morava no pq jabaquara em sao paulo ao lado da favela do buraco quente e um dia ao retornar do trabalho, notei que meus 2 dobermann estavam correndo pelo quintal rosnando muito, ao ir verificar o que acontecendo, achei dois individuos presos na casa da bomba da piscina sangrando bastante pelas maos braços e pernas, e os 2 dobermans tentando pega-los. posteriormente contaram a policia que pularam o muro para invadir a residencia porem logo ao cair dentro do quintal os dobermans os atacaram e eles quase nao conseguiram se proteger na casa de bomba e ja estavam la a mais de 5 horas acuados .

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails

Picapp Widget