Subscribe to RSS Feed

Guerra contra a bagunça!

sábado, 30 de maio de 2009 by Leila Franca


Thinkstock Single Image Set

Sinceramente, admiro aquelas raras pessoas que conseguem ter uma casa limpa e arrumada sem o auxílio de empregados domésticos. Aquele piso brilhando, pia limpa, papéis arrumados e um cheirinho bom que a gente não consegue identificar exatamente o que é. Uma mistura de ceras, óleos, perfumes e incensos. Cheiro de lençóis brancos recém tirados do varal. Cheiro de chuva, cheiro de neve.

É lógico que não estou me referindo àqueles lugares impecáveis pela falta de vida. Onde tem gente, tem bagunça. Muitas casas são assim arrumadas em decorrência da solidão. Não há ninguém para desarrumar. Estou me referindo às casas cheias de vida e ainda assim limpas e organizadas, sem que haja uma equipe de limpeza paga para colocar tudo em ordem.

A verdade é que a bagunça atrai mais bagunça ainda. Se um ambiente está em completa desordem, fazemos tudo de forma mais descuidada e a coisa vai piorando cada vez mais. E se tudo estiver em ordem, fazemos o que tivermos de fazer com o maior cuidado.

Meu pai sempre dizia que se o chão estiver limpo, a casa toda está limpa. Na nossa guerra pessoal que travamos discretamente contra nossa própria bagunça sabemos muito bem que no momento que conseguimos clarear o chão, metade do caminho está feito. A bagunça já fica enfraquecida.

O problema é que temos coisas demais. Objetos demais que acabam ocupando uma boa parte do espaço e dificultando a limpeza. Mas é impossível usar todos os objetos que possuímos. Sempre há aquelas coisas esquecidas num canto, roupas que nunca usamos e toda sorte de inutilidades. É um bom hábito recolher parte desse material e doar ou vender. Sem apego, certo? Se livrar de entulho é meio caminho andado.

Em toda casa há também aqueles lugares, geralmente cantos, que ninguém mexe. Parece que estão ali só para acumular poeira e teias de aranha. Na minha cozinha tinha um canto assim. Coloquei logo o fogão neste canto e acabou-se o problema. Agora aquele canto se transformou num espaço movimentado.

Uma vez uma pessoa me falou que se a gente não dominar a bagunça, a bagunça nos dominará. Realmente, se fecharmos os olhos para a desordem generalizada, chega um momento em que não conseguimos fazer mais nada.

Anos atrás, quando tinha 18 anos e trabalhava na IBM, aprendi a usar a “técnica da mesa limpa”. É o seguinte: ao encerrar seu trabalho, guarde tudo que está em cima da mesa. Simples assim. A mesma técnica em outro formato é o que eu aprendi quando tinha 15 anos e era bandeirante. No final de um acampamento, tínhamos que deixar o lugar exatamente como tínhamos encontrado.

Agora aplique isso ao banheiro: depois do banho, deixe o banheiro em ordem. E à cozinha: depois da refeição, deixe a cozinha como estava antes. À sala: quando desligar a televisão, deixe a sala arrumada. E por aí vai.

Gatos e cachorros também fazem uma bagunça infernal. Os gatos derrubam tudo o que é “derrubável”, os cachorros destroem o que podem, sem falar que eles não são capazes de usar o vaso sanitário e dar a descarga. Mas vou falar sobre isso numa outra postagem.

O importante é que com a casa limpa e arrumada, ou seja, vencendo a bagunça (ainda que temporariamente) ganhamos um prêmio maravilhoso: a motivação. O prazer em fazer as coisas mais simples. Se nossa casa está brilhando, fazemos tudo com mais gosto. Ficamos mais felizes. Esse é o ponto.

**********************************************************

War against mess

Frankly, I admire those rare people who have a house clean and tidy without the aid of domestic employees. Shiny floor, clean sink, arranged papers and a good smell that we can not identify exactly what it is. A mixture of waxes, oils, perfumes and incense. Smell of freshly drawn white sheets of clothesline. Smell of rain, smell of snow.

Obviously, I am not referring to those clean places that are clean by a lack of life. Where there are people, there is mess. Many houses are clean and neat due to loneliness. There is no one there. I'm referring to places full of life and still clean and organized, without any paid cleaning team to get everything in order.

The truth is that the mess attracts even more mess. If an environment is in complete disorder, we do everything in a sloppy way and things will worsen further. And if everything is in order, we do everything carefully.

My father always said that if the floor is clean, the whole house is clean. In our personal war against our own mess, we know very well that when we clear the floor, the half way is done. The mess is already weakened.

The problem is that we have too many things. Lots of objects that end up covering a large part of the space, and making difficult to get the cleaning done. It is impossible to use all the objects we have. There are always those things in a forgotten corner, never dressed clothes, and all sorts of useless stuff. It is a good habit of collecting the material and give them away or sell. You should have no attachment, right? Get rid of stuff is the halfway stage.

In all homes there are places, usually corners that no one touch. It seems that they are there just to collect dust and webs. In my kitchen there was a corner like that. I put the stove in this corner and ended up the problem. Now that corner has become a bustling area.

Once a person told me that if we do not control the mess, then the mess will control us. Indeed, if we close our eyes to the widespread chaos, comes a time when we could not do anything.

Years ago, when I was 18 years old and worked at IBM, I learned to use the technique of clean table. It is this: after you job is done, clean the table. It is simple. The same technique in another format is what I learned when I was 15 years old and was pioneer. At the end of a camp, we had to leave the place exactly as we found.

Now apply it to the bathroom: after bathing, leave the bathroom in order. And the kitchen: After the meal, leave the kitchen as it was before. The room: when turning off the tv, leave the room tidy. And so on.

Cats and dogs also make an infernal mess. Cats get to tip everything and the dogs destroy what they can. And they are not able of using the toilet. But I will talk about this in another post.

What is important is that when we have in a clean and tidy house, or winning the mess (even temporarily), we won a wonderful prize: the motivation. We get a pleasure in everything we do. We are most happy. This is the point.

Continue Reading
1 comentários

10 maneiras de encontrar um gato perdido

sexta-feira, 29 de maio de 2009 by Leila Franca


Black cat Se o seu gato ou cachorro fugiu, talvez você possa tentar as dicas abaixo para encontrá-lo:

1. Procure primeiramente em lugares onde ele possa ter ficado preso acidentalmente. Porões, armários, depósitos, sótãos, banheiros, etc. Procure nos telhados, no alto das árvores, embaixo de arbustos. Procure lugares onde possam haver pequenos animais que eles gostam de caçar. Seu gato pode estar caçando.Canteiros, jardins, terrenos baldios, casas abandonadas, etc. Olhe embaixo dos automóveis, junto das rodas.

2.Falar com as pessoas, vizinhos, comerciantes, principalmente com as crianças. Poucos adultos reparam a presença de um gato, mas uma criança saberá dizer se um gato passou num determinado local. Converse bastante com todas as pessoas que encontrar, mesmo desconhecidos. Conte histórias, crie um laço entre a pessoa e seu gato. Ela poderá ficar interessada em encontrá-lo também.

3. Coloque anúncios com foto em todos os lugares que puder. Não esqueça de incluir seu telefone no anúncio. Escreva com letra grande e legível. Se seu animal tem alguma marca, mancha que possa identificá-lo, descreva também. Tome conta de seus cartazes. Se alguém arrancou, cole de novo.

4. Procure seu gato à noite, depois das 8, que é a hora que eles costumam sair de seus esconderijos. Você pode levar a ração ou algum petisco que ele goste. Se tiver carro, saia também dirigindo, porque os gatos conhecem o barulho do motor de seu carro. Pode levar também alguma coisa que brilhe no escuro, uma lanterninha que você movimente, algo que o atraia.

5. Tente identificar lugares onde hajam outros gatos. Procure saber se no local existe pessoas que resgatem gatos ou que tenham muitos gatos em casa. Seu gato pode ter sido resgatado por alguém.

6. Ofereça uma recompensa, mas cuidado com trotes e assaltos. Se for ao encontro de alguém que diz ter visto seu gato, avise a algum parente ou amigo. Peça que vá com você ao encontro da pessoa, te acompanhando de alguma distância.

7. Procure clínicas veterinárias e pet shops. Deixe seu nome e telefone em nesses lugares. Muitas vezes quem encontra um animal deixa anúncio nesses lugares.

8. Visite os abrigos e centros de zoonoses. Seu gato pode ter sido resgatado.

9. Procure nas escolas, fale com os alunos na hora de entrada e saída. Fale com os comerciantes, donos de bares, restaurantes, açougues, traillers, mercados, que muitas vezes alimentam os animais perdidos. Fale com o gari, com o correio, com o vendedor ambulante do seu bairro.

10. Use a internet para anunciar o desaparecimento de seu gato. Deixe anúncios em comunidades locais. Não esqueça de dizer seu bairro, telefone e deixar seu endereço de e-mail disponível. Acompanhe as respostas que obtiver.

Alô amigos: agora tenho um blog só sobre gatos. É o Gatildo! Aparece por lá! gatildo.blogspot.com

********************************************************

10 Ways to find a lost cat

1. Look first in places where he may have accidentally been trapped. Basements, closets, warehouses, attics, bathrooms, etc. Look in the roof, on top of trees, below the bushes. Look for places where there may be small animals that they like to hunt. Your cat may be hunting. Gardens, vacant lots, abandoned houses, etc.. Look underneath the car, behind wheels.

2. Talk to people, neighbors, traders, especially to children. Few adults see the presence of a cat, but a child will tell you if a cat was passing in a certain place. Talk a lot with all the people you meet, even strangers. Tell stories, create a bond between the person and your cat. She may be interested to find it too.

3. Place ads with photos everywhere you can. Do not forget to include your phone on the adress. Type with large, legible font. If your pet has some marks, stains that can identify him, describe it well. Take care of their posters. If someone took them off, glue again.

4. Look for your cat at night, after the 8 pm, which is usually the time they leave their hiding and show up. You can have some cat food in your hands that he likes. If you have car, also drive around looking for the cat, because cats know the sound of the engine of your car. You can also take something that glow in the dark, a light you can move, something that attracts him.

5. Try to identify places where there are other cats. Find cat rescue people or who have many cats at home. Maybe your cat was rescued by someone.

6. Offer a reward, but be alert about traps and assaults. If you have to meet someone who claims to have seen your cat, tell a relative or friend about it. Get someone to go with you to meet the person, but keeping some distance.

7. Seek veterinary clinics and pet shops. Leave your name and phone number in those places. Maybe someone found your cat and put an ad in these places.

8. Visit the shelters and centers of rescuing pets. Maybe your cat is there.

9. Search the schools, talk with students at the time of entry and exit. Talk to merchants, owners of bars, restaurants, traillers, markets, which often feed the lost pets. Talk to the street-sweeper, with the post officer, with the hawk in your neighborhood.

10. Use the Internet to announce the disappearance of your cat. Leave ads in local communities. Do not forget to tell where you are, your phone number and leave your email address available. Follow the answers you get.

Continue Reading
9 comentários

A fuga e o retorno do meu gato Preto

quarta-feira, 27 de maio de 2009 by Leila Franca



Em setembro de 2008, levei meu gato Preto, para vacinar no dia da campanha de vacinação no meu bairro. A vacina estava sendo aplicada ao ar livre, em frente de um estabelecimento comercial. Fui de carro e o Preto dentro da caixa de transporte. Era a primeira vez que eu levava um gato para vacinar fora do consultório veterinário.

O Preto é um gato muito manso, então achei que não haveria problema em tirá-lo da caixa para tomar a vacina, mas eu estava enganada. Assim que saiu da caixa, o Preto se esperneou tanto que conseguiu sair dos meus braços, pular na calçada e, correndo numa velocidade extraordinária, entrou em alguma casa daquela rua. Foi tão rápido que nem vi onde ele entrou.

Os moradores do local ainda tentaram me ajudar procurando o gato nas garagens e quintais, mas não adiantou. Voltei para casa com a caixa de transporte vazia e lágrimas nos olhos. Quando cheguei em casa e contei o que havia acontecido, todos saíram na mesma hora para tentar encontrar o Preto, mas também não adiantou. Naquele dia eu andei de 1 da tarde até quase 11 horas da noite procurando o Preto.

No dia seguinte, logo de manhã, fiz um cartaz, tirei cópias e colei nos postes na rua onde o gato havia desaparecido, andei muito e conversei muito com as pessoas. Uma vizinha se ofereceu para fazer cópias de mais cartazes com a foto do Preto. Eu me demorava conversando com as pessoas que encontrava na rua. Não me limitava a perguntar se haviam visto o gato. Eu contava histórias das gracinhas que ele fazia, do que ele gostava e não gostava. No final as pessoas se sentiam como se conhecessem o gato também. Conversei sobretudo com as crianças, que logo se organizaram em mutirão para me ajudar a encontrá-lo. Mas foi mais um dia inteiro andando e nada de encontrar o Preto.

Se ele tivesse saído de casa com suas próprias pernas, talvez eu tivesse mais esperança em vê-lo voltar. Mas eu o levei de carro para longe de casa e foi de lá que ele fugiu. Num lugar completamente estranho, ele não tinha a menor chance de voltar por conta própria.

No dia seguinte, fiquei desolada ao ver que quase todos os cartazes que coloquei haviam sido arrancados. Fiz mais cópias e colei os cartazes outra vez. Tentei mapear a região. Com o Google Earth aberto, tentei imaginar o caminho mais provável que meu gato pudesse ter percorrido. Voltei ao local, andei vários quarteirões até chegar em outro bairro, sempre conversando com todas as pessoas que cruzavam comigo, algumas até já me conheciam, de tanto me ver passar, mas todas as pessoas já tinham desistido de me ajudar a procurar.

Na quarta noite, chovendo muito, eu andando de guarda-chuva toda molhada, começava a duvidar se todo aquele esforço fazia sentido. Minhas pernas doíam tanto que parecia que eu tinha pulado 4 noites de carnaval. Uma pessoa telefonou dizendo que havia visto o gato, mas era trote. Marcamos um encontro, mas nem sinal da pessoa nem do gato.

No quinto dia, eu estava agendada para fazer exame de sangue de rotina de manhã cedo. Saí de casa às 6 horas da manhã, mas quando cheguei na Avenida Brasil, o pneu do meu carro furou. Para quem não conhece, a Avenida Brasil é a principal via de entrada da cidade do Rio de Janeiro, a mais larga e de tráfego mais intenso. Meu pneu sobressalente estava vazio também e todos os borracheiros ainda estavam fechados. Não havia ninguém para ajudar. Deixei o carro sinalizado e saí andando à procura de um posto de gasolina. Quando encontrei um posto, já bem distante do carro, o calibrador de pneus não estava funcionando... Continuei andando...

Foi quando recebi uma ligação no meu celular: haviam encontrado meu gato!!! Uma voz de mulher dizia que meu gato estava mal, se debatendo no meio da rua, tentando se levantar sem conseguir e que ela estava com uma vassoura espantando os cachorros da redondeza que tentavam se aproximar.

Eu fiquei estressada. Pedi a ela pelo amor de Deus que tomasse conta dele até eu chegar. Ela duvidava que o gato em questão fosse o meu, mas eu dizia "É ele!!! É ele sim!!!" E eu ali, andando na avenida Brasil, com o carro com o pneu furado já bem afastado de mim. Fiquei com vontade de largar o carro ali e pegar uma van, mas achei que demoraria mais ainda. Eu tinha que consertar aquele pneu rápido!!! Tentei telefonar para vizinhos e parentes para ver se outra pessoa poderia pegar o meu gato enquanto eu não chegava, mas ninguém atendia o telefone àquela hora da manhã.

Eu estava completamente zonza, em jejum por causa do exame de sangue, andando muito rápido, voltei até o carro e o borracheiro em frente estava abrindo a loja. Rapidamente o pneu foi consertado e eu saí literalmente voando para o local onde o Preto foi encontrado.

Quando cheguei lá, o Preto parecia um pano de chão sujo embolado na sargeta. Ele estava todo sujo de lama seca. Eu não sabia se ele estava ferido ou com algum osso quebrado. Estava só com um lado da boca aberto, a língua pra fora, apresentava movimentos involuntários, espasmos, que me fizeram pensar em algum problema no cérebro ou envenenamento. Fiquei com medo de pegar nele e piorar seu estado. Infelizmente não temos ambulância nem paramédicos que possam socorrer um gato. Pelo menos eu não conhecia. Fiquei com medo de largar ele ali para procurar um serviço assim e ele morrer. Por isso eu o peguei, coloquei no carro e corri para o veterinário.

Felizmente, o Preto não tinha nenhum machucado nem osso quebrado. Era apenas sede e fome. Ele estava morrendo de sede. Ficou 3 dias internado no soro e depois voltou para casa, bem magro, mas já recuperou o peso.

E esta é a história da fuga e do retorno do meu gato Preto.


******************************************************

The scape and the return of my cat Preto

In September 2008, I took my cat Preto to vaccinate during the vaccination campaign in my neighborhood. The vaccine was being given outdoors, in front of a shop. I went by car and the Preto was in the transport box. It was the first time I took a cat to vaccinate outside.

Preto
is very quiet, so I thought there would be no problem to get him out of the box to take the vaccine, but I was wrong. Once out of the box, Preto struggled to get out my arms, and jumped on the sidewalk, running like crazy, and came in somewhere in that street. It was so fast that I didn’t see where he went.

The residents of the place even tried to help me looking for him in garages and backyards, but we didn’t get to find him. I returned home with a empty transport box and tears in my eyes. When I came home and told what had happened, everybody left to try to find my cat, but they didn’t get too. That day I went from 1 pm until almost 11 pm looking for Preto.

Next morning, I made a poster, took copies and glued on poles in the street where the cat had disappeared, walked and talked a lot with people. A neighbor has offered to make copies of all posters with a picture of Preto. I kept talking with people who were on the street. I didn’t simply ask if they had seen the cat. I told stories about him, about his likes and dislikes. In the end, people felt as if they knew the cat too. I did talk a lot with the kids and they were organized in effort to help me find Preto. But it was another day and I didn’t get to find Preto.

If he had left the house with his own legs, maybe I had more hope to see him back home. But I took him in the car away from home and was there that he did scape. In a completely strange place, he had not the slightest chance to get back on his own.

N
ext day, I was sad when I saw that almost all the posters weren’t out there anymore. So, I made more copies and glued the posters again. I tried to map the region. With Google Earth open, tried to imagine the likely path that my cat might have gone. I returned to the place, walked several blocks until to get another neighborhood, always talking to all the people around. I was even becoming known in that place, but people had given up to help me look for my cat.

On the fourth night, raining a lot, I kept me walking with an umbrella in my hands, all wet, but I began to doubt whether all that effort made sense. My legs were hurting so much that seemed I had been dancing the 4 nights of carnival. Yet, a person called saying that he had seen the cat, but it was hoax. I tried to meet this person, but no sign of the person or the cat.

On the fifth day, I was scheduled to do a routine blood test early in the morning. I left home at 6 o'clock in the morning but when I arrived at Brazil Avenue, the tire of my car got flat. For those who do not know, the Brazil Avenue is the main route of entry to Rio de Janeiro, the largest and most intense traffic. My spare tire was also flat and all stores were still closed. There was nobody to help. I flagged the car and got out walking looking for a gas station. When I found a gas station, away from the car, the tire gauge was not working ... I continued walking ...

That was when I received a call on my cell: someone had found my cat! A voice of a woman said that my cat was ill, was debating in the street, trying to get up and she was trying to keep the dogs away.

I was stressed. I asked her for God to take care of him until I get there. She doubted that the cat in question was mine, but I said 'That's him! Yes, it is him! " And I was still walking on Brazil Avenue, and the car with the flat tire far away from me. I was willing to leave the car there and take a van, but I thought it would take more time. I had to fix that tire fast! I tried to call neighbors and relatives to see if someone else could get my cat, but nobody answered the phone that time of morning.

I was completely dizzy in fasting because of the blood test and walking very fast. Back to the car, the store in front and was opening. The tire was repaired quickly and I went out literally flying to the place where my cat was found.

When I got there, my cat seemed a dirty cloth at street. He was all dirty dry sludge. I didn’t know if he was hurt or if he had any broken bones. He had just one side of the mouth open, tongue out, had involuntary movements, spasms, which made me think about some problem in the brain or poisoning. I was afraid to get him and worsen his condition. Unfortunately we have no ambulance or paramedics who can help a cat. If we had it, I didn’t know. I was afraid to leave him there to find a service like this and he dies. So I got him, I put in the car and ran to the veterinarian.

Fortunately, my cat Preto had no bruise or broken bone. It was just thirsty and hungry. He was dying of thirst. He was hospitalized during 3 days in serum and then returned home, he was so thin, but regained the weight later.

And this is the story of the scape and the return of my cat Preto.

Continue Reading
4 comentários

Imaginação infantil

segunda-feira, 25 de maio de 2009 by Leila Franca


A minha neta Isabela, que acaba de fazer 4 anos, é uma graça. Noutro dia ela veio do quintal chorando e mostrando um calombo em sua perna formado pela picada de uma formiga. Depois, querendo talvez mostrar a "gravidade" da situação, Isabela explicou:

"Foi a formiga da dengue!"

*********************************

My granddaughter Isabela, which is just 4 years old, is so cute. Another day she came from the backyard, crying and showing her leg because she got an ant's bite. Then, perhaps wanting to show the "seriousness" of the situation, Isabela said:

"It was the ant of the dengue!

PS ( to foreign readers): the dengue is a serious disease that comes from the mosquito in tropical areas. There is no “ant” of the dengue. That was Isabela's creation!

Continue Reading
0 comentários

Modelagem com durepoxi

domingo, 24 de maio de 2009 by Leila Franca


Uma das coisas que gosto de fazer é criar e modelar miniaturas. Já usei vários tipos de materiais, inclusive o durepoxi. Gosto de usar este material quando vou fazer uma peça única e que exige mais rigidez em suas partes.

Para fazer uma miniatura em durepoxi, precisamos fazer um esqueleto de arame, que vai ajudar na sustentação da peça. Usando um pedaço de arame e um alicate, começamos a dar a primeira forma da peça. Se é uma figura humana, posicionamos a cabeça, tronco e membros, com um arame mais grosso, colocando o esqueleto na posição que queremos, sem esquecer de deixar pontas para prender a peça numa base. Sobre esta estrutura, enrolamos um arame mais fino, para que o durepoxi não escorregue. Também é útil deixar uma ponta de arame apenas para segurar a peça sem tocar na massa ainda mole. Depois que tudo estiver pronto, essa ponta de arame poderá ser cortada.

As ferramentas também são importantes. Ferramentas de tirar e colocar massa, estiletes, marcadores, etc. Podemos começar comprando algumas mais básicas e depois fabricar nossas próprias ferramentas. A verdade é que na hora que estamos criando uma peça tudo pode se transformar em ferramenta!

Com o esqueleto pronto, começamos a aplicar o durepoxi em camadas. A cada camada, esperamos secar para adicionar a próxima. O maior segredo para trabalhar com durepoxi é misturar creme para as mãos na massa de durepoxi. Compre um pote de creme para mãos na farmácia ou supermercado e misture um pouquinho de creme na massa enquanto estiver modelando. Além de retardar a secagem, a massa fica mais maleável e fácil de trabalhar. Com a ajuda do creme, fazemos os detalhes finais. Se durante a execução do trabalho não gostarmos de algum detalhe, podemos lixar a peça depois de seca e refazer a parte que não gostamos. É importante olhar a peça em todos os ângulos a procura de defeitos.

Costumo usar tinta esmalte sintético para pintar as miniaturas, mas já usei tinta para cerâmica e tinta comum para artesanato, todas a base de água rás. Demora bastante para secar, mas temos que ter paciência e esperar até poder pintar todos os detalhes. Acho que as peças, antes da pintura, têm um certo charme, que é perdido quando começamos a pintar. Por isso, não pinto algumas miniaturas, que foi o caso da miniatura dos lutadores de Krav Magá, que decidi não pintar.

****************************

Modeling with durepoxi

One of the things I like to do is to create miniatures and modeling. I already used various kinds of materials, including durepoxi. I like to use this material when I make a single piece, and that requires more rigidity in their parties.

To make a miniature in durepoxi, we need to make a skeleton of wire, which will help sustain the piece. Using a piece of wire and pliers, we make the first form of the piece. If we want to make a human figure, we start positioning the head, body, arms and legs, placing the skeleton in the position we want, without forgetting to leave a piece of wire to the basis. In this structure, a coiled wire thinner, for the durepoxi not slip. It is also useful to leave a piece of wire just to hold while working without touching the stuff still soft. Once everything is ready, the piece of wire can be cut.

The tools are also important. Tools to build and put mass, knives etc. We can start buying basic tools and then making our own tools as we need. The truth is that in time we are creating a piece everything can become a tool!

With the skeleton ready, start applying the durepoxi in layers. At each layer, wait to drying to add the next. The biggest secret to work with durepoxi is to mix hand cream in the mass of durepoxi. Buy a pot of cream for hands in the pharmacy or supermarket, and mix a little cream in the mass while modeling. In addition to delaying the drying, the mass is more malleable and easy to work. With the help of the cream, do the final details. If during the execution of work we don’t like some detail, we can sand the piece and then redo the part that we didn’t like before. It is important to look all angles of the piece to search for defects.

I tend to use synthetic enamel paint to paint the miniatures, but I already used ceramics and common craft paint to paint.. It takes long to dry, but we must have patience and wait until to get all details done. I think that the piece has a certain charm with no ink that is lost when we start painting. So I don’t paint some miniatures, which was the case of the “Krav Magá Fighters” miniature, which I decided to not paint.


Continue Reading
36 comentários

As flores da minha casa

sábado, 23 de maio de 2009 by Leila Franca


Hoje está fazendo uma linda manhã. A temperatura está super agradável. Trabalhei tanto durante a semana que passou que resolvi relaxar um pouco tirando fotos das flores da minha casa. Há muito espaço no quintal, mas o que cresce mais são as folhagens porque venta muito (minha casa fica num lugar alto e próximo do mar) e no verão minha casa pega o sol da tarde, mas algumas flores crescem aqui. Essa flor vermelha, que dá o ano todo, foi plantada pelo meu filho. Não sei o nome dela, mas gosto muito admirar este colorido.


*********************

Today is a beautiful morning. The temperature is very nice. I worked so hard during the week that I decided to relax a bit taking pictures of flowers in my home. There is much room in the backyard, but the foliage grows more than flowers because here is very windy (my house is located in a hill and it is a place close to the sea) and during the summer my house catches the afternoon sun. However some flowers grow here. This red flower, which has flowers during the whole year, was planted by my son. I do not know its name, but I admire its color.

**************************
Esta outra flor à direita parece uma bromélia. Foi plantada pela minha irmã e levou mais de 2 anos para dar a primeira flor. Pensei que ela nunca fosse crescer, já que durante todo esse tempo permaneceu como uma plantinha de um palmo de altura, até que de repente cresceu. Minha irmã disse que ela fica um grande arbusto. Deve estar com 1 metro de altura. Por trás da flor é possível ver a parede coberta de hera. Eu gosto da hera, mas dá muito trabalho de cortar e ela cresce rápido. O muro da frente aqui de casa é coberto de hera. É um muro alto. Recentemente eu aparei os galhos e todo mundo que passava na rua ficava admirado por eu estar fazendo este serviço, que geralmente é entregue a jardineiros.

*****************************

This other flower on the right seems a bromeliad. It was planted by my sister and took more than 2 years to get the first flower. I thought it would never grow, because during that time it stayed like a small plant, but it suddenly grew. My sister said it is a large shrub. Should be 1 meter height. Behind the flower you can see the wall covered with ivy. I like ivy, but it give me much work to cut and it grows fast. The front wall of the house here is covered with ivy. It is a high wall. Recently I trim the branches and everyone who passed by on the street was surprised because I was doing this service, which is usually given to gardeners.

**********************

Esta flor à esquerda é chamada de Camarão. É um "Camarão amarelo". Também existe um camarão marrom avermelhado (cor de tijolo). Posso ver estas flores da janela do meu quarto.

*****************************

The flower on the left is called “shrimp”. It is a "yellow shrimp”. There is also a reddish brown shrimp (brick’s color) that looks like a real shrimp. I can see these flowers from the window of my room.

***********************

Também tenho uma roseira com rosas cor de rosa, que nascem em cachos aqui em casa. Hoje Havia apenas um botão de rosa na roseira, mas geralmente tenho muitas rosas que também posso ver da minha janela.

I also have roses which grow in clusters here. Today there was just a button of rose, but usually I have many roses which I can see from my window.



Os gerânios cor de rosa ficam na frente da casa. Também existem flores silvestres que nascem naturalmente.

*************************

The pink geraniums are in front of the house. There are wild flowers too that grow naturally.


****************************


Também tenho esta planta que é chamada de "dólar". Ela dá flores brancas. Há uma superstição que diz que o "dolar" atrai dinheiro para a pessoa que plantou. Pelo visto, vou ter bastante dinheiro pois meu "dólar" está bem crescido.

**************************

I also have this plant that is called "dollar." It gives white flowers. There is a superstition that says that the "dollar" plant attracts money to the person who planted. Apparently, I will have a lot of money because my "dollar" is grown.

Continue Reading
0 comentários

Meu gato Preto

by Leila Franca



Meu gato Preto adora ficar no meu colo. O problema é que ele é pesado. O Preto fala várias palavras, na língua dos gatos, é claro. Quando me vê, ele fala "Grrrrrrruuu", acho que este é meu nome.
Preto adora leite. Quando tomo o caminho da cozinha, ele vai correndo na frente e se eu for comer alguma coisa, ele sempre quer comer antes de mim.

Ele come ração toda hora. Sempre quer que eu coloque ração nova. Não come resto de ração, mesmo que o resto tenha sido deixado por ele próprio 5 minutos antes.

Na noite passada o Preto jogou todos os meus papéis no chão. Ele adora deitar sobre o meu trabalho e se sentar na frente do monitor do computador.

O Preto gosta de dormir numa cadeirinha na varanda. Gosta de tomar conta dos meus movimentos. Ele fica aborrecido quando estou ocupada e não posso ficar com ele no colo.

O rabo do Preto parece uma pluma e quando ele anda seu rabo fica na vertical. Dizem que isso é sinal de que o gato está alegre.

Preto é um grande caçador. Não há ninguém mais rápido que ele. Ele é capaz de subir um paredão em poucos segundos, é como se ele pudesse correr verticalmente.

Preto é um gato inesquecível.

************************************
My cat Preto

My cat Preto loves stay in my lap. The problem is that he is heavy. Preto speaks several words in the language of cats, of course. When he sees me, he says "Grrrrrrruuu" I think this is my name.

Preto loves milk. When I take the path to the kitchen, he run in front of me and if I eat something, he always wants to eat before me.

He eats all time. He always wants a new food. He doesn’t like “old” food, even if the the “old” food has been left by him 5 minutes before.

Last night Preto threw all my papers on the floor. He loves sleeping on my work and sit in front of my computer monitor.

Preto
likes to sleep in a chair on the balcony. He likes to watch me and take care of all my movements. He gets bored when I'm busy and can’t be with him.

His tail looks like a plume and when he walks his tail is vertical. Someone told me that this is a sign that the cat is happy.

Preto
is a great hunter. There is no one faster than him. He is able to climb a wall in seconds, it is as if he could run vertically.

Preto
is an unforgettable cat.

Continue Reading
6 comentários

Dias cheios

sexta-feira, 22 de maio de 2009 by Leila Franca



Nesses últimos dias, desde meu último post, estive tão ocupada que não consegui escrever uma linha sequer. Só hoje consegui terminar uma série de tarefas e posso voltar a escrever.

No fim de semana o meu cachorro Raul machucou a pata e eu comecei a semana tendo que levá-lo ao veterinário. Resolvi levar o Raul na Suipa porque é sempre uma maneira de ajudar os animais que estão lá. Um funcionário me disse que existem 8 mil cães no abrigo, fora os gatos... O lugar é feio e de aspecto pobre, mas pelo menos os animais não estão na rua expostos a todos os perigos. Haviam vários cachorros na fila, logo na entrada dois enormes rottweilers, um pointer, dois poodles, um filhote de akita (uma gracinha), um lindo cocker spaniel dourado, um weimaraner, um pastor alemão e poucos vira-latas. A clientela estava bem variada. Eu gastei bem menos do que se tivesse levado o Raul numa clínica particular.

Logo no dia seguinte, tive que levar meu gato Palito para fazer a cirurgia de castração. Na sexta-feira dia 15, eu tinha agendado a castração do Palito na Prefeitura. O serviço é gratuito. Quero castrar meus 6 gatos. O pior é deixar o gato em jejum por 12 horas. Detesto esta parte. O Palito ficou estressado dentro da caixa no caminho, mas a cirurgia foi rápida e logo voltamos para casa.

A castração é importante porque evita a superpopulação de gatos. Evita que mais gatos sejam abandonados nas ruas, praças e cemitérios. Além disso, os animais ficam mais calmos, param de marcar território (fazendo xixi em tudo) e ouvi dizer que também evita o câncer.


A primeira gatinha que levei para castrar
morreu pouco depois da cirurgia. Seu nome era Esparta. Fiquei muito triste com a morte dela. Parece que o problema foi nos rins. A Esparta era a coisinha mais meiga que já existiu. Por isso, eu estava morrendo de medo de castrar o Palito, mas graças a Deus correu tudo bem.

Depois disso, tive que ficar fazendo curativo no Raul, no Palito, dando remédio para os dois, que não é fácil. Fora meu trabalho do dia a dia e aquelas coisas que não posso deixar de fazer como ir a banco e supermercado...

Agora parece que o pior já passou e os gatos estão tranquilos.


**********************************

Full days

In these last days, since my last post, I was so busy that I couldn’t even write a line. Only now I finished some tasks and can post again..

During
the weekend my dog Raul injured a paw and I started the week having to take him to the veterinarian. I decided to take Raul to Suipa (a shelter that has a vet service) because it is always a way to help the animals that are there. An official told me that there are 8 thousand dogs in the shelter, and I am not accounting the cats ... The place is ugly and looks poor, but at least the animals are not on the street exposed to all hazards. There were several dogs in the waiting room to meet the veterinarian. At the entrance two huge rottweilers, a pointer, two poodles, one akita puppy (so cute), a beautiful golden cocker spaniel, a weimaraner, a German shepherd and a few other dogs. So, the clients were very diverse. I spent a lot less than if it had gone in a private clinic.

In t
he very next day, I had to take my cat Palito to be neutered. On Friday 15th, I had scheduled the surgery in City Hall. It is a free service. I want to get my 6 cats neutered. The worst thing is to let the cat with no food or water for 12 hours before the surgery. I hate this part. Palito was stressed in his box on the way, but the surgery was quick and soon we returned home.

To get the cat neutered
is important because it prevents the overpopulation of cats. Prevents that a lot of kittens be abandoned in the streets, squares and cemeteries. Moreover, the animals become calm, stop marking territory (pee making in all) and I heard that it also prevents the cancer.

My first neutered cat died shortly after surgery. Her name was Sparta. I was very saddened by her death. It seems that the problem was her kidneys. Sparta was the most sweet thing that already existed. So, I was very afraid to get Palito neutered, but thank God everything was fine.

Next days, I had to take care about Raul and Palito giving medicine to both of them in the right hour, which is not easy because they just don’t want me to do that. Beyond that I had to get my job done and those things that I have to do every week as bank and supermarket...

Now it seems that the worst is over and the cats are quiet.


Continue Reading
0 comentários

Para manter a juventude

domingo, 17 de maio de 2009 by Leila Franca


Ontem me diverti fazendo um perfil para minha mãe no Orkut. Ela vai fazer 76 anos daqui a alguns dias. Eu fiz tudo, ela não tocou no computador. O objetivo da minha mãe no orkut é tentar encontrar seus ex-alunos. Ela é professora aposentada. Agora estou tentando convencê-la a criar um blog para escrever suas recordações.

Isso me fez pensar no que devemos fazer para manter a juventude. Depois de vivenciar muita coisa, eu tenho algumas idéias. Organizei uma lista obviamente incompleta, porque não sei todas as respostas, nem ninguém sabe ainda.

1. Aceitar o que é novo. Experimentar as novidades tecnológicas, mudar a maneira de vestir, o corte de cabelo, a maquiagem conforme os anos forem passando, aceitar novos estilos de música, se interessar por novos filmes e novos escritores. Experimentar novas formas de diversão. Gostar dos novos carros. Acompanhar as mudanças na linguagem. Logicamente que, para tanto, não quero dizer que a pessoa com mais idade deva tentar parecer um adolescente. Não é isso.

2. Se desapegar do passado. É bom lembrar do passado, aprender com ele. Mas o melhor momento pode ser aquele que estamos vivendo. Não está no futuro nem no passado. É agora que estamos sentindo nossa respiração, nosso coração bater. É agora que estamos mais experientes.

3. Acabar com os preconceitos. O futuro sempre vem com mudanças fortes. Não é fazer de conta que aceita as diferenças. É aceitar mesmo.

4. Ter sempre uma aventura em mente, mesmo que ela nunca se concretize de todo. A expectativa da aventura é que mantém o brilho dos nossos olhos e nos deixa animados interiormente. A aventura é pessoal, cada um tem a sua. Aventura é aquela coisa que não se faz sempre e geralmente algo que você, de fato, não precisa fazer.

5. Aceitar as mudanças em seu próprio corpo e não se envergonhar dele. O corpo fica mais velho, já não é tão bonito quanto o dos jovens, mas e daí?

6. Não parar de tentar aprender coisas novas. Canso de ouvir pessoas dizendo, por exemplo, que estão muito "velhas" para aprender a dirigir. Isso aos 35 anos.

7. Novos amigos. Durante a vida, vemos muitas pessoas queridas se perderem de nós. Vão viver em outros lugares, ficam ocupadas, somem. Alguns morrem. A vida é movimento. Num dia temos um grupo de amigos e relações sociais. Passam-se alguns anos e já não sabemos mais de ninguém. Então acho importante estar sempre fazendo novas amizades e, é logico, tentar manter contato com velhos amigos.

8. Ter pelo menos um animal de estimação. Cachorros, gatos, calopsitas, hamsters, tartarugas, qualquer animalzinho vale a pena. Costumo dizer que quem tem um gato nunca vai ficar deprimido porque é um bicho super carinhoso com o dono.

9. Contato com a natureza. A natureza é uma fonte de juventude. Cheirar uma flor, colocar o pé na cachoeira, admirar a formação de nuvens de uma tempestade, ver o mar, o bater das ondas, acompanhar o vôo de um pássaro, prestar atenção nas cigarras cantando nas tardes de verão, tirar uma fruta do pé, pisar descalço na grama, abraçar o tronco de uma árvore, andar na neblina, admirar o pôr do sol. Não podemos deixar de fazer essas coisas de vez em quando.

10. Rir o máximo possível e manter uma postura positiva. Peito pra fora, barriga pra dentro, cabeça erguida e passo firme. Comida e hábitos saudáveis também ajudam muito.

Para finalizar, quero apenas completar dizendo que a idade cronológica não expressa exatamente a juventude ou a velhice de uma pessoa. É comum ouvirmos alguém dizer que uma pessoa está agindo de uma forma ou de outra porque está ficando "velho". Que nada! A pessoa já devia agir daquela forma desde que era novo, só que ninguém nunca reparou. Um dia, se tivermos sorte, teremos rugas e cabelos brancos.


Senior Couple at Beach
******************************************************************

To keep the youth

Yesterday I had fun making a profile on Orkut for my mother. She will be 76 years old within few days. I did everything. She didn’t touch the computer. The purpose of my mother on Orkut is trying to find her former students. She is a retired teacher. Now I'm trying to convince her to create a blog to write her memories.

All of this made me think about what we must do to maintain youth. After some experience, I have some ideas. I organized an obviously incomplete list, because I don’t know all the answers, nobody knows yet.

1. Accept what is new. As the years go by, try to experience new technologies, change the way of dressing, cutting hair, the makeup. Accept new styles of music, be interested in new films and writers. Try new forms of entertainment. Admire the new cars. Observe language changes. Obviously, I don’t want to say that the older person must be like a teen. Not so.

2. Get some detachment of the past. It is good to remember and learn with the past. But the best moment could be that we are living in the present. Not in the future or the past. We're feeling our breath, our heart beating now. We are more experienced now.

3. Stop the prejudices. The future always comes with strong changes. It is not just to pretend we are accepting the differences. It is really accepting them.

4. Always have an adventure in mind, even if it never happens at all. The expectation of the adventure is what keeps the brightness of our eyes and the excitement. The adventure is personal. Each one has his own. Adventure is that thing that you don’t do always and generally something that you in fact don’t have to do.

5. Accept changes in your body and not be ashamed of it. The body is older, is not so beautiful as the young, but so what?

6. Do not stop trying to learn new things. I’m tired of hearing people saying, for example, are very "old" to learn to drive. That said at 35 years old.

7. New friends. During life, we keep losing many people dear to us. They go to live in other places, are busy, they disappear. Some die. Life is movement. In a day we have a group of friends and social relations. Few years later, we don’t know where they are anymore.So I think it is important to always be making new friends and, sure, keep contact to old friends.

8. Have at least one pet. Dogs, cats, birds, hamsters, turtles, any animal is worth. I often say that who has a cat is never going to be depressed because a cat is a very kind and loving pet.

9. Contact with nature. Nature is a source of youth. Smell a flower, put your foot in the waterfall, admire the formation of clouds during a storm, see the sea, the waves hit, follow the flight of a bird, watch cicadas singing in the summer afternoons, take a fruit of the tree , step barefoot on the grass, hug a tree, walk in the mist, admire the sunset. We have to do these things time to time.

10. Laugh as much as possible and maintain a positive attitude. Chest out, stomach in, head up and steady step. Food and healthy habits also help a lot.

Finally, I just want to say that chronological age does not exactly express the internal age. It is common to hear someone say that a person is acting in one way or another because it is getting "old”. Nope. The person probably act that way since he was young, but nobody ever noticed. One day, if lucky, we will have wrinkles and gray hair.


Continue Reading
2 comentários

Eu e os gatos

quinta-feira, 14 de maio de 2009 by Leila Franca


Esta sou eu, com meu gato Miúdo, que desapareceu em fevereiro/2009 num dia bastante movimentado na minha casa e na minha rua. Não sei se ele se assustou, se escondeu e se perdeu ou se alguém o levou. Ainda guardo esta foto de recordação.


**************************************************

This is me and my cat Miúdo (means small). He disappeared in February 2009. It was a very busy day in my home and my street. I don’t know if he was scared, hid himself and got lost or if someone took him. I keep this picture in remembrance.


Continue Reading
2 comentários

Meus bichos

quarta-feira, 13 de maio de 2009 by Leila Franca

Eu adoro animais e tenho 6 gatos e 1 cachorro. Todos eles são muito apegados a mim. Eles estão sempre em volta de mim. Leon é o gato mais velho. Ele é tímido, quieto e reservado.


*************

I love pets and I have 6 cats and 1 dog. They are all very attached to me. They are always around me. Leon is the oldest cat. He is shy, quiet and reserved.

O Preto é um gato muito especial. Ele é muito carinhoso e gosta de receber carinho também. Todos os dias ele pula no meu colo e isto significa que tenho que passar pelo menos meia hora fazendo carinho nele.

****************

Preto (means black) is a very special cat. He is very affectionate and likes to get love too. Every day he jumps on my lap and that means I have to spend at least a half hour fondling him.

Carlitos gosta mais do meu cachorro do que de mim! Eu costumo dizer que o Carlitos é o gato do meu cachorro. Carlitos é um gato valente e até mesmo brigão. Não gosta que ninguém se aproxime do seu território.

******************

Carlitos (means C.Chaplin character) like more of my dog than me! I usually say that Carlitos is the cat of my dog. Carlitos is a brave cat and even tough. He doesn't like that anyone comes close to his territory.

Palito é o gato mais chato do mundo. Ele mexe em tudo, sobe em móveis e nos lugares mais altos que encontra, derruba todos os objetos que pode e faz todo tipo de travessura. Toda vez que vou sair, ele entra no carro e quer ir também!

********

Palito (means "stick") is the most annoying cat in the world. He has to touch everything, jumps up the furniture and goes in places higher than on, knocks down all objects that he can and do all sorts of mischief. Whenever I leave, he enters the car and want to go too!

William Wallace recebeu este nome porque ele tem a metade de sua carinha preta e metade branca, como o personagem interpretado por Mel Gibson no filme Coração Valente. Além disso, este gatinho é um herói. Ele foi abandonado na rua e estava muito sujo e quase morto quando o encontrei. Agora ele está forte e lindo! Nesta foto, ele aparece junto do meu cachorro cocker spaniel Raul, que é cego.

*************

William Wallace has got this name because he has half his face black and half white, like Mel Gibson character in the movie Braveheart. Moreover, this cat is a hero. He was abandoned on the street and was very dirty and almost dead when I found him. Now he is strong and beautiful! In this picture, William Wallace and my cocker spaniel Raul (who is blind) are together as good friends.

A Pretinha (única menina do time) ainda é um bebê. Minha vizinha a encontrou abandonada dentro de uma caixa de papelão. Seus olhinhos ainda estavam fechados e ela não tinha nem começado a andar. Minha vizinha tem um pitt bull que não gosta de gatos, então eu fiquei com a Pretinha em minha casa. Ela teve que ser alimentada primeiramente com uma seringa e depois com uma mamadeira.

************

Pretinha (the only girl of the team - her name means "black") is still a baby. My neighbor found her abandoned inside a cardboard box. Your eyes were still closed and she had not start walking. My neighbor has a pitt bull who doesn’t like cats, so Pretinha stayed in my home. She had to be fed first with a syringe and then with a nursing bottle.

Em 2008, eu tirei cerca de 20 gatos e um cachorro da raça poodle das ruas e encaminhei para adoção. Quase todas as adoções foram bem sucedidas. Fico muito triste quando vejo o abandono dos animais nas cidades grandes. É uma crueldade. Os animais também sentem dor, fome, sede e medo.

******************

In 2008, I took about 20 cats and poodle off the streets and led to adoption. Almost all adoptions were successful. I am very sad when I see the abandonment of animals in big cities. It is a cruelty. The animals also feel pain, hunger, thirst and fear.

Continue Reading
2 comentários
Related Posts with Thumbnails

Picapp Widget