Subscribe to RSS Feed

Momentos marcantes

quinta-feira, 6 de maio de 2010 by Leila Franca


Como mãe, guardo muitos momentos marcantes junto aos meus 3 filhos e hoje escrevo aqui alguns deles.

Com o meu filho mais velho, o Joe, eu me lembro quando ele tinha 15 anos. Uma sexta-feira, eu cheguei em casa do trabalho e encontrei um bilhete em cima da mesa da cozinha. "Mãe, fui viajar, volto segunda-feira".

Entrei em pânico! Viajar pra onde? Com quem? Com que dinheiro??? Ele nunca tinha feito isso! Imaginei que ele tivesse ido para algum lugar com a namorada e não deu outra. Segunda-feira ele chegou feliz da vida, tinha ido para um sítio com a namorada e a família dela. Mas levou uma bronca!


Até hoje o Joe me deixa um pouco nervosa com as viagens. Acho que ele anda mais de avião do que de ônibus. A lindinha que aparece na foto é a filhinha dele, minha neta.

O meu filho do meio, o Gabriel, vivia estudando. Antes de tomar o café da manhã, lá estava ele com os cadernos abertos, sem ninguém mandar. Por isso é que com ele os momentos mais marcantes foi quando ele passou nos primeiros lugares para a Escola Técnica Federal de Química e quando terminou o curso entrou para a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), se formando em farmácia.


Hoje em dia Gabriel só quer saber de uma coisa: se divertir! E faz ele muito bem!

Com o meu filho mais novo, o André, eu me lembro uma vez que eu fiquei super preocupada quando ele disse que no show que iria fazer com sua banda haveria um espetáculo pirotécnico! Mas ainda bem que essa fase passou e agora ele está concentrado na faculdade. O André é o único dos meus 3 filhos que ainda mora comigo e me salva quando tenho problemas no computador.




Mas vida de mãe é assim... cheia de sustos e surpresas, preocupações e alegrias. Tenho certeza que cada mãe tem uma historinha assim pra contar.

15 comentários:

  1. Principe Encantado
    6 de maio de 2010 11:29

    Muito legal amiga, mãe é isso mesmo sustos, sustos, sustos, e alegrias de montão.
    Abraços forte

  1. Jackie Freitas
    6 de maio de 2010 12:04

    Ohh, minha amiga!
    São lindas mesmo algumas (tenho certeza entre tantas) passagens de mãe!
    Parabéns pelos filhos lindos que criou com muito carinho.
    Adorei!
    Bjs,
    Jackie

  1. Darcy Mendes
    6 de maio de 2010 13:38

    Verdade, Leila. São tantas histórias que nossas mães poderiam escrever vários livros.
    Você já está escrevendo o seu!

  1. Darcy Mendes
    6 de maio de 2010 13:40

    Aliás, eu fiz isso (viajar) com minha mãe. A diferença é que eu não falei nada para ela. Tinha 20 anos. Saí direto do trabalho na sexta-feira e só voltei para a casa na segunda à noite. Imagine a bronca que levei.

  1. Valéria Braz
    6 de maio de 2010 14:00

    Nossa que 3 lindos filhos.....você realmente é uma artista completa....
    Leila...as vezes fico olhando pro meu pequeno, que ainda tem 8 anos e está na barra da minha saia, e pensando em como será quando ele resolver ganhar o mundo?! Você acabou de me responder, vai ser como é para todas as mães, muitos sustos, broncas....mas uma enorme alegria de tê-lo trazido ao mundo!
    Beijo no coração

  1. Jack Dieguito
    6 de maio de 2010 14:48

    Leila, que legal falar um pouco da vida dos seus 3 filhotes. Achei legal aquele do meio, entendo pq ele escolheu "quimica" notei pelo copinho que ele segura.ahahahah
    to brincando..
    familia nota 10!
    abçs

  1. Fernandez
    6 de maio de 2010 15:10

    Olá Leila!
    Com certeza toda mãe passa por sustos e alegrias. O problema é quando a cota de sustos é muito superior a de alegrias... :-) rsrs
    Compartilho com teu filho mais velho a questão das viagens... passo mais tempo em vôo que na terra. :-) rsrs
    Aliás... a netinha é linda.
    Tens uma família muito bonita minha amiga.
    Beijos, Fernandez.

  1. Eduardo Montanari
    6 de maio de 2010 15:12

    Preocupação de mãe é normal. Mães corujas a maioria é, só é preciso tomar cuidado para não superproteger os filhos demais. Minha mãe fez isso comigo e hoje, aos 34 anos eu ainda sou uma pessoa totalmente insegura.

  1. Leila
    6 de maio de 2010 15:27

    Eduardo, eu nunca superprotegi meus filhos, mas eu pessoalmente fui superprotegida e sei como é...

  1. menta
    6 de maio de 2010 16:22

    Oi Leila!
    È verdade mesmo os filhos depois de adultos,para nós mães ainda é uma criança.
    Beijos

  1. Sissym
    6 de maio de 2010 23:26

    Leiloca, seus filhos são LINDOS e cada um tem seu destino traçado, dá para perceber as caracteristicas pessoais através de sua narração. A netinha é fofinha demais! Que dengo e menina!!!! Eu imagino a sua preocupação com a viagem do primogenito, não é para menos. O segundo, bom de quimica, o copo deve ser um de seus "experimentos"! E o mais novo... bem ao estilo de minhas sobrinhas, descolado!

  1. Eninha
    6 de maio de 2010 23:44

    Olá Leila!
    Achei amorosa essa sua ideia de contar um bocadinho mais de si e dos seus lindos filhos. Como não tenho filhos, não posso "meter minha colher" nesse assunto , só sei que do outro lado também dei muitos sustos , sobressaltos mas também muitas alegrias a minha mãe, coitada :)
    bjos
    Eninha

  1. arte-e-manhas-arte
    7 de maio de 2010 05:38

    Leila,

    Eu compreendo muito bem a tua aflição. Acho que estou a começar a passar por essa fase, pois o meu filho mais velho tem 16 anos. Eu ainda fico em pânico, mas penso que este estado de espírito lastimável, se diluirá com o tempo! :)

    Beijos
    Luísa

  1. livrro
    7 de maio de 2010 11:05

    Olá, Leila!
    Já estava com saudades de seus comentários e votos lá no dihitt, pensei que tivesse nos abondonado. Estávamos um pouco tristes!
    Obrigado, mais uma vez, por lembrar de nós!
    Bjs!
    Rike (hobbyblogclube.blogspot.com).

  1. Maria Marçal
    7 de maio de 2010 18:49

    Leila!
    Chegando em tempo ainda.
    Parabéns... parabéns!

    Que lindos filhos, em primeiro lugar.
    Uma saudação toda especial ao filho mais novo que te ajuda a nos manter contatada contigo! rsrs

    Mas criar filhos homens eu não imagino como seja. Tenho uma moça.
    Entretanto, temos algo em comum: amor a eles...infinito amor.

    Como é bacana ver tu cobrires uma página inteira sobre a vida dos teus filhos... que benção ler coisas boas...nada de trajédias...somente prosperidade e amor maternal.

    Amei demais.
    Que Deus nos dê saúde para acompanharmos a trajetória deles por esse mundo.

    Maria Marçal - Porto Alegre - RS

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails

Picapp Widget