Subscribe to RSS Feed

A vida é movimento!

segunda-feira, 24 de maio de 2010 by Leila Franca

Quando saiu da cidade, meu melhor amigo deixou um cartão de despedida. Não era um cartão comprado em loja. Era um retângulo de papelão onde ele escreveu à caneta a seguinte frase:


"A ave sai do ovo. O ovo é o mundo.
Quem quiser nascer
tem que destruir um mundo..."

Eggshell splitting and light beaming out

A sentença foi extraída do livro "Demian" de Hermann Hesse, que nós havíamos lido pouco antes de sua partida. O romance conta a história de um rapaz que pela primeira vez sai da casa dos pais e encara o mundo.

Era isso que meu amigo iria fazer. Deixaria para trás sua zona de conforto. A casa dos pais, o ambiente familiar, onde tinha de tudo sem que precisasse fazer esforço algum e seguiria por um caminho totalmente desconhecido. Ele era a ave que se preparava para sair do ovo e o mundo que teria de romper era o único que então conhecia.

Dove flying through beam of light

Pra começar a fazer uma coisa nova, precisamos deixar de fazer a que estamos fazendo no dia de hoje. O apego não existe somente em relação às pessoas e aos objetos. Podemos nos apegar também a um tipo de vida que estamos levando.

Qualquer mudança exige um rompimento com alguma coisa que irá passar a fazer parte do passado e da memória. É necessário coragem e determinação, mas vale a pena. A vida é movimento.

33 comentários:

  1. Cecília Avenca
    24 de maio de 2010 21:32

    Com certeza podemos nos apegar ao comodismo para nunca sair da zona de conforto,nunca fechar os olhos e saltar em busca de novas experiencias!
    Bjos

  1. Roniel A. Julio
    24 de maio de 2010 21:33

    Amiga Leila, para qualquer tipo de mudança é necessário que haja o rompimento com certos vínculos, e esses rompimentos, por vezes, são dolorosos, mas necessários. Abraços. Roniel.

  1. Sumie
    24 de maio de 2010 21:47

    Leila eu tenho uma dificuldade enorme quando tenho que fazer alguma mudança,sei que muitas vezes é preciso,mas o medo do novo é sempre inevitável.
    Bjs!

  1. Psiquismo Desmistificado
    24 de maio de 2010 21:59

    MUito bom esse texto.
    É uma grande verdade. A vida é uma dinâmica irrefreável.
    Abraçs

  1. eu
    24 de maio de 2010 22:19

    interessante reflexão ..o tempo não para devemos sair do comodismo e alcançar desafios,a ´paz

  1. Sou Mulher ...
    24 de maio de 2010 22:22

    Com certeza Leila, vida é movimento! e Mudanças! Já passei por muitas e não me senti apegada ao que deixei, porque, já cumpriu seu papel e o presente,coisas novas, sempre absorviam minha atenção.Só quando pensamos em deixar pra tras um relacionamento de quase uma vida inteira, é que a coisa aperta!
    Então,pensamos que não sabemos "ser", sem ela em nossa vida. Ainda podemos,tentar mudar o próprio relacionamento, ou a nós mesmas. Dá muito mais trabalho, mas é uma mudança! Não dá é pra deixar tudo envelhecer, ruir ao nosso lado, só por medo de mudar! Belo texto,amiga!
    Beijos,Vera.

  1. Mariana Mauro
    24 de maio de 2010 22:37

    O maior desafio da mudança é o medo do desconhecido... Às vezes, é preciso arriscar e viver. Vou anotar o livro na minha lista de próximas leituras.

  1. RobMaia
    24 de maio de 2010 23:05

    Leila,... perfeito! Linda referência. Eu também já li esse livro do Hesse (esse e o 'O Lobo da Estepe'), mas confesso que havia me esquecido de 'Demian'. Por acaso também já fiz essa escolha de 'sair do ovo'. É difícil mas o aprendizado é maravilhoso.

    Uma coisa muito interessante no título, 'A Vida é Movimento', é que lembra um raciocínio (ou um 'sofisma', na visão de alguns) desenvolvido por Parmênides, bem antes de Cristo, que dizia:

    'Tudo que se move, o faz porque é imperfeito e, assim, procura algo por se sentir incompleto. Deus, é perfeito: não procura nada. Portanto,... Deus é imóvel'.

    Esse pensamento não era uma heresia. Era a tentativa do filósofo de fazerem as pessoas entenderem que, se há um Deus, ele de fato já fez tudo. Daqui por diante, era com o ser humano.

    De minha parte, acho esse raciocínio muito válido.

    Valeu mesmo, minha amiga. Beijos.

  1. Senhor da Vida
    24 de maio de 2010 23:06

    A vida e movimento, achei a resposta para uma pergunta que eu fiz ao taro, de cunho pessoal, onde caia o mundo, na parte onde atrapalhava o enlace. Agora entendi, o medo, de abandonar a zona de conforto impede de aceitar a proposta.Tenho que romper esse ovo, e assumir os desafios.Adorei, bjs!

  1. Fatima Zanin
    24 de maio de 2010 23:26

    Mudanças são necessárias,a vida está sempre em movimento não podemos parar no tempo.
    Abço
    Fatimazanin

  1. Leila
    25 de maio de 2010 01:09

    Olá Mariana Mauro,

    Este livro existe na íntegra na internet, nem é preciso fazer download, procure pelo google.

  1. Cenystro
    25 de maio de 2010 01:39

    E ainda tem coragem de dizer que meu post é bom?
    Olha só essa materia incrivel
    e por incrivel que pareça
    Era exatamente o que eu precisava saber
    nossa
    acaso?
    Nao sei
    sei que veio no momento certo

  1. Leila
    25 de maio de 2010 01:51

    Olá Cenystro

    Fico feliz em saber que gostou do meu artigo e que minhas palavras tenham caído no momento certo pra vc.

    bjs

  1. Evoluimos?
    25 de maio de 2010 04:13

    Leila, eu não sou muito bom em me expressar(o que não quer dizer que não gosto, não amo, não admiro) e sempre leio seus artigos, mas dessa vez você foi fundo, não poderia deixar passar a oportunidade de dizer que sou um grande admirador de seus textos. Muito obrigado pelas sábias lições passadas.Vou tentar me dar a oportunidade de romper algumas barreiras e seguir.
    Abração.

  1. Eduardo Montanari
    25 de maio de 2010 08:43

    Meu Deus! Meu Deus! Esse texto é pra mim. Eu estava precisando ler algo desse tipo.
    No momento estou passando por algo semelhante. Não. Não saí de minha zona de conforto ainda, preciso, mas tenho medo do novo, do desconhecido.
    Mas realmente preciso evoluir, deixar de ter medo. Deus lhe abençoe.

  1. Valdeir Almeida
    25 de maio de 2010 08:52

    Leila,

    E quem tem grandes oportunidades de voar em outros mundos, mas não quer romper a casca do ovo, terá dois problemas: continuar no "conforto desconfortável" e sentir a própria culpa por não ter voado.

    Esse post é incentivador.

    Abraços.

  1. Leila
    25 de maio de 2010 09:52

    Eduardo,

    Cada um tem seu tempo e sua hora certa. É como uma fruta que amadurece e naturalmente rompe seu elo com a árvore mãe.

    bjs

  1. Jackie Freitas
    25 de maio de 2010 11:13

    Oi Leila, minha querida!
    Pois é...esse dia, inevitavelmente, chega para todos! Um dia temos que cortar esse cordão umbilical que, no caso dos filhos, resistimos. Bom, eu ainda não passei por isso, mas fico imaginando que seja assim. Eu crio os meus filhos para serem o mais independentes possível! Acho que estou cuidando para que não soframos demais no futuro!
    Grande beijo,
    Jackie

  1. Marianne
    25 de maio de 2010 11:23

    Sabe Leila, sair da casa dos pais é uma decisão tão delicada... Mas vale a pena no final.
    Parte do que sou hoje foi porquê deixei meu estado (MT) com 16 anos (2 anos atrás) para morar com meus tios. Depois, aos 17, já consegui, com ajuda da minha mãe, um lugar só pra mim.
    Hoje, eu me sustento.

    Sofri e ainda sofro com a saudade, mas sempre que posso saio dessa algazarra aqui e vou pra minha cidadezinha, que é meu verdadeiro lar.

    Adotei São Paulo e jamais sairia daqui aHUHAUAIHUAIUAHUIAH
    Mas voltar às raizes, para recuperar as forças, faz bem.

    Meu irmão vive cantando pra mim 'O passarinho sempre volta ao seu ninho, no final" =]

    Abraços,
    Mari

  1. Cris Travassos
    25 de maio de 2010 11:23

    Eu vivo me movimentando. Acho que já passei por mais de dez mudanças de vida. E cada uma, é um novo aprendizado.

    Beijocas

  1. rr3075ss
    25 de maio de 2010 12:29

    É muito grande a correlação entre 1 ovo e 1 semente. A diferença,é que quando "nascer",o "pássaro" precisará ainda de uma "pousada",enquanto a árvore,dará esse abrigo.Muitos que se aventuram de repente assim,ou se arrependem,ou criam uma casca mais grossa que a primeira,que foi rompida ingênuamente,ou pelo "calor" de uma"galinha dos ovos de ouro" momentânea.
    Mesmo assim,Leila,desejo muita sorte p/ seu amigo e que esse nosso Movimento vital nunca cesse! Grande abraço,bela.

  1. Leila
    25 de maio de 2010 12:39

    Oi Radi,

    Isso já aconteceu há muito tempo e meu amigo, depois de passar pela Bolívia,Peru, Venezuela,Chile, Argentina, Ilhas Canárias, França e Suíça, se fixou na Espanha, onde vive há muitos anos. Seu voo foi longo, mas enfim encontrou seu lugar.

  1. Mr.Jones
    25 de maio de 2010 15:14

    no meu caso, a ave aqui saiu do ovo, e o mundo quis destruir essa ave. Ta até hj correndo risco de extinção. ahahahha
    gostei Leila

  1. Glaukitos
    25 de maio de 2010 19:55

    Excelente reflexão Leila.

    Ah, vim te avisar que te indiquei a um meme acompanhado de um selo, segue o link:


    http://glaukitos.blogspot.com/2010/05/mais-um-selinho-e-um-meme.html

    bjão

  1. Tempestade
    26 de maio de 2010 00:55

    As mudanças são necessarias na nossa vida. nos faz crescer.
    Tem um selo pra vc no meu blog. Espero que goste. um beijo ♥

  1. hobbyblogclube
    26 de maio de 2010 22:00

    Olá, Leila!
    Tens toda razão, queiramos ou não, a vida é um eterno movimento!
    Quanto ao endereço que não conseguistes acessar, tá aqui: www.toforatodentro.blogspot.com.
    Bjs!
    Rike.

  1. Natalícia Alfradique
    27 de maio de 2010 07:40

    Oi, Leila
    Muito prazer em conhecê-la. Acredito que cheguei em boa hora, digo isto pq este belo livro foi um dos primeiros que li na minha juventude. Fiquei tão encantada que li quase todos do mesmo autor.
    Espero vir mais vezes aqui e quem sabe ter a alegria de encontrar outros relatos tão lindos como este.
    Um abração
    Natalicia

  1. Leila
    27 de maio de 2010 09:48

    Oi Natalícia,

    Fiz como você, também li quase todos do mesmo autor, direto, depois de ter lido o primeiro. Obrigada pelo seu comentário e a visita ao meu blog.

    bjs

  1. Rafael Rodrigues
    27 de maio de 2010 16:50

    Execelente Post Acho que é isso mesmo que nós possamos fazer em nossas vidas.

  1. Eduardo Montanari
    27 de maio de 2010 22:33

    Seu comentário não chegou ao blog. Se algum dia quiser voltar a comentar lá eu compreenderei. Um abração.

  1. lillyaraujo13
    1 de junho de 2010 00:10

    Olá,
    Depois de sua citaçao e o endosso do Rob Maia, fui no scribd e baixei o livro Demiam, vou ler. Amei como vc se expressa.
    Parabéns!!!

  1. Leila
    1 de junho de 2010 00:16

    Oi Lilly,

    Obrigada pela visita ao blog e pelo elogio. Demian é um livro que marcou uma época.

    bjs

  1. Darcy Mendes
    7 de junho de 2010 09:31

    Penso que é a hora mais difícil para quem fica, mas para quem está saindo é uma excitação maravilhosa que envolve: medo, alegria,tristeza...enfim uma mistura de sentimentos. Eu vivi isso aos 20 anos quando botei a mochila na costa e saí de casa pensado em retornar em para minha cidade Natal depois de uns cinco anos. Já fazem 28 anos. Acabei criando raíz na minha Sorocaba querida que adotei como segunda cidade Natal.

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails

Picapp Widget